Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Autoeuropa em risco de cortar um turno de produção

  • 333

Nuno Botelho

Ao contrário do que o novo investimento faria supor, implicando a contratação de mais 500 trabalhadores, a fábrica de Palmela está a dialogar com os trabalhadores para encontrar um modelo de maior flexibilidade laboral. Os trabalhadores temem a supressão de um turno fabril

A fábrica do Grupo Volkswagen em Palmela está a debater um novo modelo de flexibilização laboral que permita manter um "fluxo de produção estável", referiu ao Expresso a fonte oficial da empresa. Neste sentido, está a decorrer um processo de diálogo com a Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa que ainda não chegou a posições consensuais. Um dos cenários em aberto não exclui, segundo alguns trabalhadores, "a supressão de um turno fabril", embora a fonte oficial da Autoeuropa não faça comentários.

"A administração da Volkswagen Autoeuropa está neste momento em diálogo com a Comissão de Trabalhadores, no sentido de se encontrar um entendimento sobre um modo de funcionamento que garanta o volume de produção da empresa no corrente ano, sem colocar em causa a empregabilidade dos seus colaboradores", refere um comunicado da empresa.

"Tratando-se de um processo normal na vida de uma empresa, e por respeito a todas as partes envolvidas, a Volkswagen Autoeuropa não comentará qualquer aspeto até o processo estar concluído”. adianta o mesmo comunicado.

O Expresso contatou o ministro da Economia sobre o assunto, pretendendo saber se o Governo está a acompanhar este processo e se está garantido o cumprimento das obrigações de investimento contratualizadas com o Estado português, entre as quais se incluir a contratação de mais 500 trabalhadores para a Autoeuropa. Também não é conhecida a posição da diplomacia económica portuguesa sobre este assunto e os contactos que eventualmente já tenham sido feitos na Alemanha, junto do Grupo Volkswagen. No entanto, como na manhã de quarta-feira a agenda do ministro Caldeira Cabral foi ocupada com outro tema, até à data não foi feito qualquer comentário ao Expresso.

O novo investimento da unidade destinada a produzir novos modelos de veículos para o Grupo Volkswagen tem a parte exterior concluída, e vê-se para quem circula na A2, tendo desenhada, na parede exterior de uma das novas naves fabris, o perfil de um veículo, supostamente um dos modelos que a fábrica de Palmela deveria produzir.