Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preço do Brent em novo máximo do ano

  • 333

Registando enorme volatilidade diária, o preço do barril de Brent esteve a cair 2% no final da sessão asiática para fechar o dia em 45,53 dólares, com uma subida de quase 4%. O Iraque veio anunciar uma provável reunião na Rússia em maio

O preço do barril de petróleo de Brent, a variedade europeia de referência internacional, não para de surpreender. A volatilidade diária é significativa.

Esta quarta-feira, depois de se saber que a greve no sector petrolífero do Kuwait fora cancelada, o preço do Brent atingiu um mínimo do dia de 42,82 dólares no final da sessão asiática.

Mas, depois, ao longo da sessão europeia e norte-americana, o preço disparou, atingindo um novo máximo do ano em 45,88 dólares. Fechou em 45,53 dólares, uma subida diária de 3,95% em relação ao encerramento no dia anterior.

O “clique” foi dado por um anúncio do ministro dos Petróleos do Iraque que participaria numa nova reunião de membros da OPEP e outros na Rússia, “provavelmente no próximo mês”.

A ajudar no disparo o facto de os stocks de crude nos Estados Unidos não terem subido na semana passada tanto quanto os analistas previam. A Administração de Informação de Energia (EIA) informou que, na semana passada, os stocks subiram apenas 2,08 milhões de barris, abaixo dos 2,4 milhões que os analistas previam.

Entretanto, o ministro dos Petróleos da Venezuela, que foi muito ativo em todo o processo da iniciativa de Doha desde fevereiro, disse esta quarta-feira à Reuters que propõe que os não membros do cartel que participaram nas negociações recentes sejam admitidos como “observadores” na cimeira da OPEP em junho.

Volatilidade de preços ao sabor de eventos contraditórios

Recorde-se que no domingo, em Doha, a maioria dos membros do cartel da OPEP e não membros, como a Rússia e o México, não chegaram a acordo para um congelamento da produção e adiaram nova decisão para junho. Os analistas esperavam um trambolhão no preço do barril na segunda-feira, mas a queda foi ligeira, de apenas 0,4% e o preço ficou ligeiramente abaixo de 43 dólares.

Com o impacto acumulado da greve no Kuwait desde domingo, o preço fechou em alta na terça-feira, perto de 44 dólares. Hoje esperava-se uma quebra, depois do Kuwait iniciar o regresso à sua produção diária normal, mas o preço acabou por disparar à tarde na sessão europeia fruto do regresso das expetativas de que o cartel e outros exportadores chegarão a um acordo de congelamento da produção.

  • Preço do petróleo cai 2% com fim da greve no Kuwait

    A confederação sindical do sector petrolífero do emirado cancelou a greve que durava desde domingo e reduzira a produção diária para metade na terça-feira. Preço do barril de Brent abriu esta quarta-feira em queda e já está a cotar-se abaixo de 43 dólares