Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preço do petróleo em alta. Bolsas da Ásia e Europa somam ganhos

  • 333

A greve no sector petrolífero no Kuwait está a retirar diariamente do mercado 1,7 milhões de barris e a anular o pessimismo saído do fracasso da reunião de Doha. Preço do barril de Brent está esta terça-feira acima do valor de fecho na semana passada. Tóquio liderou subidas nas bolsas asiáticas

Jorge Nascimento Rodrigues

A greve no sector petrolífero no Kuwait entrou no seu terceiro dia mobilizando 13 mil associados da poderosa Confederação sindical e provocando um corte de fornecimento de 1,7 milhões de barris diários, o que está a anular os efeitos do pessimismo provocado pelo fracasso das negociações no domingo em Doha para um congelamento da produção de membros do cartel da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e de não membros, como a Rússia e o México.

O corte do fornecimento oriundo daquele emirado reduz substancialmente o excedente diário de crude existente no mercado mundial, o que pressiona os preços em alta. A tendência de baixa do preço do petróleo desde junho de 2014 tem estado relacionada com a consolidação de um excedente na oferta no mercado mundial. Paradoxalmente, o que a iniciativa de Doha ainda não conseguiu, a greve no emirado está a provocar, temporariamente, o que se pretendia - a alimentação de uma trajetória de subida do preço do crude desde meados de fevereiro, apesar da continuação do braço de ferro entre o Irão e a Arábia Saudita.

O preço do barril de petróleo de Brent, a variedade europeia de referência internacional, fechou na segunda-feira em 43,17 dólares, ligeiramente acima do valor de encerramento na sexta-feira passada (43,10 dólares) e abriu esta terça-feira em 43,04 dólares. Durante a sessão asiática chegou a descer para 42,64 dólares, mas pelas 8h (hora de Portugal), aquando da abertura dos mercados financeiros europeus, já se cotava em 43,61 dólares, um aumento de 1,2% em relação ao fecho do dia anterior. A trajetória é ascendente.

Em virtude da correlação positiva que se tem observado entre as oscilações dos preços no mercado petrolífero e a volatilidade nas bolsas, as praças financeiras asiáticas fecharam esta terça-feira em alta, lideradas por Tóquio, onde o índice Nikkei 225 ganhou 3,68% e o Topix avançou 3,25%. Na região, apenas a bolsa de Taipé registou uma quebra do seu índice. A bolsa de Mumbai está fechada, em virtude de ser feriado na Índia. A Ásia inverteu hoje as perdas do dia anterior. No Médio Oriente, o índice Tadawull da Arábia Saudita regista ganhos superiores a 1%.

A Europa abriu a sessão desta terça-feira com ganhos, com as bolsas de Moscovo, Paris, Milão e Frankfurt a liderarem as subidas, com os principais índices a registarem avanços superiores a 1%. Em Lisboa, o PSI 20 abriu a subir 0,7%.