Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal nunca teve tantos turistas

  • 333

Filipe Farinha/Stills

Em fevereiro de 2016, a hotelaria portuguesa registou 989.882 hóspedes, mais 14% face a fevereiro de 2015 e mais 45% face a fevereiro de 2006, ano de arranque da série estatística da atividade turística do INE

O Instituto Nacional de Estatística acaba de divulgar um novo recorde para o turismo em Portugal: em fevereiro de 2016, a hotelaria registou cerca de 990 mil hóspedes, mais 122 mil do que em fevereiro de 2015 e mais 307 mil do que em fevereiro de 2006, primeiro ano da série estatística oficial sobre a atividade turística no país.

Somando os dados de fevereiro divulgados esta sexta-feira aos dados de janeiro já conhecidos, a hotelaria está a viver o começo de ano mais auspicioso de sempre, com o número de hóspedes a subir 12% face ao arraque de 2015 e a disparar 43% face ao arranque de 2006. De facto, nos dois primeiros meses do ano, a hotelaria nacional registou quase 1 milhão e 854 mil hóspedes, mais 196 mil do que há um ano atrás e mais 556 mil do que nos primeiros dois meses de 2006.

Segundo o INE, este aumento generalizado dos principais indicadores em fevereiro poderá estar relacionado com a situação de instabilidade verificada em destinos concorrentes, a par da implementação de estratégias comerciais específicas em fevereiro, nomeadamente pacotes especiais do Dia dos Namorados e do Carnaval (em 2016 com tolerância na Administração Pública).

O crescimento das dormidas contou com o contributo do mercado interno (+11,3%) e, de forma mais expressiva, dos mercados externos (+16,8%). A estada média aumentou (+0,9%; 2,58 noites), tal como a taxa líquida de ocupação cama (+2,5 pontos percentuais., situando-se em 32,3%). Os proveitos registaram acréscimos significativos (+20,6% para os proveitos totais e +20,7% para os de aposento), superiores aos registados em janeiro (+13,5% e +15,6%).

Os hotéis (67,8% das dormidas totais) apresentaram um aumento de 15,6%, para o qual concorreram todas as categorias, principalmente as de quatro estrelas (+19,0%) e de três (+15,7%), tendo estas categorias assegurado 70,2% das dormidas em hotéis. Os aldeamentos e apartamentos turísticos registaram incrementos expressivos (+39,6% e +27,2%), tendo os respetivos pesos relativos no setor aumentado para 4,5% e 7,1% em termos de dormidas.

O mercado interno proporcionou 782,8 mil dormidas (+11,3%), evolução que superou a dos últimos meses (+2,2 p.p. que em janeiro) mas ficou aquém da observada em fevereiro de 2015 (-6,9 p.p.). As dormidas de não residentes aceleraram (de +10,5% em janeiro para +16,8% em fevereiro), atingindo 1,8 milhões. O acréscimo verificado foi o mais significativo desde abril de 2014 (+22,7%). No período de janeiro a fevereiro, as dormidas do mercado interno aumentaram 10,2% e as dos mercados externos 13,9%.