Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“A urgência do processo” ditou o convite apenas ao Santander e Popular para compra do Banif

  • 333

José Carlos Carvalho

O governador do Banco de Portugal disse na comissão parlamentar de inquérito ao Banif que foi a "urgência do processo", porque as propostas de compra tinham de ser apresentadas em um dia, que fez com apenas fossem convidados para apresentar propostas de compra aos espanhóis Santander e Banco Popular

"Ainda no dia 19 de dezembro de 2015, o Banco de Portugal deliberou desencadear o processo de resolução urgente do Banif na modalidade de alienação parcial ou total da sua atividade e convidar o Banco Santander Totta e o Banco Popular Espanhol a apresentarem propostas de aquisaição num contexto de resolução", contou aos deputados o governador.

Carlos Costa explicou porque foram convidados apenas os dois bancos espanhóis: "Em primeiro lugar, a urgência do processo - as propostas tinham de ser apresentadas até à manhã do dia seguinte, domingo, e a transação concluída nesse mesmo dia - recomendava que os candidatos fossem escolhido de entre os participantes no processo de venda voluntária, por terem já conhecimento da situação financeira e patrimonial do Banif".

Por outro lado, "porque desse universo, estas duas instituições eram as únicas que cumulativamente preenchiam os requisitos obrigatórios", entre eles ter uma presença significativa em Portugal, e um balanço três vezes superior ao do Banif. Era um requisitos à medida do Santander e do Popular. Só o Santander fez uma proposta vinvulativa.