Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Wall Sreet abre no vermelho. Preço do Brent cai mais de 3%

  • 333

As bolsas de Nova Iorque abriram em terreno negativo seguindo a trajetória registada na Europa e em quase toda a Ásia. Probabilidade da Fed decidir nova subida de juros aumentou. Preço do barril de petróleo de Brent em queda depois da Arábia Saudita avisar que um acordo de congelamento da produção tem de envolver todos os membros do cartel

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas de Nova Iorque abriram esta sexta-feira no vermelho. O Dow Jones 30 iniciou abril a cair 0,35% e o S&P 500 a descer 0,64%. Na bolsa das tecnológicas, o índice geral do Nasdaq abriu a perder 0,64%. Os mercados financeiros dos Estados Unidos seguem a trajetória de baixa verificada na maior parte das bolsas asiáticas e na abertura da Europa. Mas a tendência em Nova Iorque pode não estar ainda definida.

Wall Street está a reagir negativamente a uma queda acentuada do preço do petróleo durante a sessão europeia e ao facto dos analistas apontarem agora para a possibilidade de um novo aumento das taxas de juro pela Reserva Federal norte-americana (Fed) poder ocorrer mais cedo do que o previsto.

O preço do barril de petróleo de Brent – a variedade europeia de referência internacional – está a cair 3,4%, cotando-se em 38,80 dólares. Um alto responsável da Arábia Saudita declarou esta sexta-feira à Bloomberg que o sim do seu país a um acordo em Doha a 17 de abril exigirá que todos os membros do cartel da OPEP concordem (incluindo o Irão), o que deitou um balde de água fria nas expetativas otimistas sobre aquela reunião.

O Departamento do Trabalho norte-americano divulgou esta sexta-feira um aumento do emprego (excluindo o sector agrícola) em março superior ao previsto pelos analistas. Esse dado positivo no mercado laboral está, paradoxalmente, a ser interpretado negativamente pelos investidores como um sinal que poderá pressionar a Fed por um novo aumento dos juros, encarecendo o custo do dinheiro. Ontem, uma probabilidade superior a 50% para um novo aumento dos juros só se observava na reunião de 21 de dezembro, já no final do ano, segundo o mercado de futuros daquelas taxas seguido pela CME. Hoje, depois da divulgação dos dados do emprego em março, uma probabilidade de 50% já surge para a reunião de 21 de setembro.

Na Europa, o índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) estava a perder 2,6% quando Nova Iorque abriu. Descidas superiores a 2% registam-se nos principais índices das bolsas de Paris, Frankfurt, Zurique, Amesterdão e Madrid. O PSI 20, na Bolsa de Lisboa, perdia 1%.

BCE ampliou compras mensais a partir de hoje

A partir desta sexta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) ampliou o volume mensal de compras de ativos públicos e privados em mais 20 mil milhões de euros. O novo volume mensal passou a ser de 80 mil milhões de euros. O BCE injetou até 25 de março cerca de 829 mil milhões de euros no âmbito dos três programas de compras que tem em curso. A fatia de leão pertence ao programa de compra no mercado secundário de dívida soberana da zona euro.

Essa decisão foi tomada na reunião de 10 de março, onde se aprovou, também, uma descida no conjunto das taxas de juro e o arranque a partir de 1 de junho de uma nova série de operações de financiamento a quatro anos com objetivos condicionados (designada pela acrónimo TLTRO) em que o juro poderá ser similar ao aplicado aos depósitos, ou seja uma taxa negativa de -0,4%. Os bancos não só não pagarão juros como receberão um benefício por pedir emprestado ao BCE no âmbito destas linhas TLTRO.

O BCE decidiu ainda, sem data preanunciada, o lançamento de um novo programa de compra de ativos, agora abrangendo as obrigações denominadas em euros emitidas por sociedades não financeiras estabelecidas na zona euro. Os analistas apontam o seu início para o final do primeiro semestre.

  • Praças financeiras asiáticas fecharam no vermelho, lideradas por Tóquio. Europa abriu em terreno negativo com Paris e Zurique a liderarem as descidas. PSI 20 em linha com trajetória descendente europeia. Preço do Brent desce abaixo de 40 dólares