Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

IRS. Quem recebe salário ou pensão já pode entregar a declaração

  • 333

Dois em cada cinco contribuintes não reuniram faturas suficientes para obter dedução de 250 euros com despesas gerais familiares

O prazo para os trabalhadores dependentes e os pensionistas entregarem a declaração de rendimentos de 2015 em sede de IRS começa hoje e prolonga-se até ao último dia do mês de abril.

Durante o mês de abril decorre a entrega das declarações de rendimentos das categorias A (trabalho dependente) e H (pensões) e, ao longo de maio, vão decorrer as entregas das declarações relativas aos restantes rendimentos.

Além disso, há declarações de rendimentos que têm de ser enviadas obrigatoriamente pela internet: é o caso das que incluírem os anexos B (rendimentos de categoria B com regime simplificado ou ato isolado), C (rendimentos da categoria B com contabilidade organizada), D (rendimentos abrangidos pelo regime da transparência fiscal), E (rendimentos de capitais), I (rendimentos de herança indivisa) ou L (residente não habitual).

Este ano, as entregas em papel coincidem com as entregas feitas através da internet. Questionada pela Lusa sobre se as declarações entregues pela internet serão liquidadas antes das apresentadas em papel, à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, fonte das Finanças esclareceu que, "é natural" que as declarações entregues em papel "sejam processadas mais tarde".

O Jornal de Negócios adianta que só 61% dos contribuintes reuniram faturas para aceder à dedução de 250 euros que antes era atribuída automaticamente. Isto significa que 39% dos contribuintes não reuniram facturas suficientes para completar a dedução de 250 euros com despesas gerais familiares, o que poderá significar pagar mais IRS do que no ano passado.

O Correio da Manhã adianta que as novas deduções beneficiam as famílias com rendimentos até 20 mil euros anuais e que mais de um milhão poderão ter desconto máximo no IRS.

  • Metade dos internautas tem de mudar de browser para entregar o IRS

    Finanças continuam a usar tecnologia obsoleta e insegura que já originou vários alertas e é desaconselhada pelas autoridades dos EUA. Os browsers Chrome (usado por 46,5% dos internautas) e Edge abandonaram o Java. A partir de 1 de abril, os contribuintes terão de utilizar alternativas. Problema pode afetar mais de dois milhões de portugueses