Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

TAP. Rui Moreira sentiu-se enganado

  • 333

Rui Duarte Silva

Em reação à entrevista de Fernando Pinto esta quarta-feira ao “Jornal de Notícias”, em que o presidente-executivo da TAP diz que Rui Moreira considerou que a ponte aérea era uma “ótima ideia”, o gabinete da Câmara do Porto sublinha que o autarca foi enganado nessa reunião e remete para o livro “TAP - Caixa Negra”, publicado há uma semana, no qual Rui Moreira fala de pormenores “ocultados” e que por isso “não estava excessivamente preocupado

No livro "TAP - Caixa Negra", publicado há uma semana, Rui Moreira recorda a reunião que o presidente executivo da TAP refere esta quarta-feira em entrevista ao "Jornal de Notícias", detalhando que Fernando Pinto e Humberto Pedrosa lhe "garantiram que os voos intercontinentais a partir do Porto se iriam manter" e que "muitos dos pormenores da nova estratégia da TAP" lhe tinham sido "ocultados", o que o levara a dizer que "não estava excessivamente preocupado".

Desde então, o presidente da Câmara do Porto tem criticado a estratégia da TAP para o Porto, acusando-a de ter em curso uma estratégia para "destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro", com vista a construir em Lisboa "um novo aeroporto e uma nova ponte".

Na terça-feira, dois dias depois da inauguração da ponte aérea entre Lisboa e o Porto, a autarquia considerou que a ocupação da operação "está a ser um fracasso para a TAP".

"Os números não mentem, o primeiro dia de ponte aérea entre o Porto e Lisboa, domingo, 27 de março, não foi o sucesso que a TAP anunciou", assinalou a Câmara do Porto na sua página de Internet. A autarquia destacou ainda que "a ocupação média não ultrapassou em muito os 50%, e que chegou a ser de 6% num dos voos, muito aquém dos 97% garantidos nos voos internacionais diretos do aeroporto Sá Carneiro".

Já de acordo com a TAP "no primeiro dia de operação da ponte aérea (domingo), a companhia bateu o recorde de passageiros transportados entre Lisboa e Porto e ontem [segunda-feira] esse número foi ainda superior".

"Não divulgamos nem o número de passageiros, nem as taxas de ocupação, porque essa é informação comercial reservada [habitualmente não divulgada pelas companhias relativamente a rotas específicas]", acrescentou fonte da transportadora aérea à Lusa.

Segundo a companhia, "a tendência é que os números de passageiros transportados e a procura pelos voos da ponte aérea se consolidem, levando a uma cada vez maior procura, até porque os meses em que tradicionalmente ela aumenta estão a chegar (verão)".

"A ponte aérea não é apenas uma ligação ponto-a-ponto entre o Porto e Lisboa, é também uma ligação de enorme conveniência e facilidade facultando o acesso a toda a rede de destinos TAP. Com ela, os clientes da região Norte do país dispõem de ligações rápidas a um enorme conjunto de destinos que antes não tinham", justifica.

Contudo, e segundo os dados divulgados pela Câmara do Porto, no primeiro dia "houve voos com 6% de ocupação" e "a média dos 18 voos foi de 57%".

"Apesar da maioria dos voos terem acontecido com aviões de pequena dimensão e poucos lugares, as taxas de ocupação foram muito baixas", realça a Câmara do Porto, revelando que "logo de manhã, a TAP fez uma ligação com um Airbus A319, com 126 lugares, onde só sete estavam ocupados".

E sublinha: "a operação, ao longo do dia, foi sendo garantida por aviões muito diversos, como Airbus 319, A320, os ATR42 e ATR72 e Embraer, ou seja, alguns dos voos foram operados com aviões com cerca de 40 lugares, o que nem assim fez aumentar as taxas de ocupação".

A câmara salienta por esse motivo que "com taxas de ocupação desta ordem é impossível rentabilizar voos e obter proveito das ligações, ao contrário do que acontecia com as ligações descontinuadas do Porto para a Europa (74 voos semanais), que apresentavam taxas de ocupação da ordem dos 90%".

Em comunicado, a TAP fala de um serviço "equivalente ao existente em muitos países, onde se ligam, com conceito semelhante, as principais cidades, como sejam os casos de Madrid e Barcelona, Roma e Milão, Innsbruck e Viena, Zurique e Genebra, Rio de Janeiro e S. Paulo, entre outros".

"A ponte aérea será servida por 18 frequências diárias. Entre o Porto e Lisboa haverá voos entre as 05:30 e as 21:30, e em sentido inverso entre as 06:00 e as 22:25, garantindo-se, desta forma, uma conectividade total entre toda a rede da TAP, deixando em definitivo de haver esperas prolongadas entre voos", refere.

O arranque do novo serviço coincide com a suspensão das ligações entre Porto e Barcelona, Bruxelas, Milão e Roma classificadas pela TAP como rotas como "deficitárias".