Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mónica Silvares e Filipe Alves assumem direção interina do “Diário Económico”

  • 333

Os dois jornalistas assumem esta segunda-feira os comandos do “Diário Económico”, após a direção do jornal ter apresentado a demissão a 8 de março


Os jornalistas Mónica Silvares e Filipe Alves assumem a partir de segunda-feira a direção interina do "Diário Económico", garantindo que o jornal vai continuar a servir os leitores.

Numa nota publicada este domingo no 'site' do jornal, apesar de a edição em papel não estar nas bancas na segunda-feira, "o Económico vai continuar a servir todos os seus leitores e telespectadores com informação, análise e opinião de qualidade, na plataforma 'online' e no Etv".

"Embora dolorosas, as crises são também oportunidades para mudar de rumo e trilhar um caminho novo. Este momento difícil constitui uma oportunidade para refundar a marca Económico e procurar devolver ao projeto a sustentabilidade que lhe tem faltado", refere a nota da direção interina.

Fica ainda a promessa de que, "com a garra e dedicação de que já deu provas, a equipa do Económico tudo fará para continuar a merecer a inestimável confiança dos seus leitores, telespectadores, parceiros e anunciantes".

Na sexta-feira, um anúncio publicado no portal Citius dava conta que a S.T. & S.F. - Sociedade de Publicações, dona do jornal, 'site' e canal de televisão do Diário Económico entrou com um pedido de insolvência, tendo sido já nomeado um administrador judicial provisório.

A publicação desta informação aconteceu no dia em que saiu a última publicação em papel do Diário Económico, passando a estar disponível apenas na Internet (www.economico.pt) e na televisão (Económico TV).

A decisão de suspender a publicação do jornal em papel foi comunicada na quinta-feira aos trabalhadores pelo administrador Gonçalo Faria de Carvalho, num plenário.

A direção do "Diário Económico" tinha apresentado, a 08 de março, a demissão do cargo.

No passado dia 10 de março, os trabalhadores do "Diário Económico" realizaram uma greve de 24 horas para reivindicar o pagamento dos salários em atraso, pois, "apesar da violação de que são alvo" em relação "a um direito elementar", "têm assegurado o regular funcionamento da empresa", disse então à Lusa o delegado sindical e membro da Comissão Instaladora da Comissão de Trabalhadores do "Diário Económico", Paulo Jorge Pereira.

A 2 de março, a Ongoing Strategy Investments, 'holding' do grupo que detém o "Diário Económico", entrou em processo especial de revitalização (PER) de empresas devido às dificuldades financeiras.