Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Receitas e investimento da PT Portugal caem em 2015

  • 333

A receita da PT Portugal caiu 7,3% para 2,3 mil milhões de euros em 2015, em termos homólogos, divulgou a multinacional francesa Altice. Houve um recuo em quase todos os segmentos. O investimento caiu 16,7%

Em 2014, as receitas da dona da Meo situaram-se em 2,5 mil milhões de euros e a queda verificada em 2015 estendeu-se a quase todos os segmentos da operadora, adquirida pela Altice em junho do ano passado.

Até então, a PT Portugal integrava um grupo empresarial mais vasto do que as empresas adquiridas pela Altice, com relações comerciais com essas mesmas empresas, que foram reduzidas ou terminadas durante 2015.

Segundo o comunicado da Altice, as receitas do serviço fixo recuaram 0,35% para cerca de 697 milhões de euros, e no móvel 7,2% para cerca de 582 milhões de euros.

Também no segmento empresarial, as receitas do fixo recuaram 9,1% para 448 milhões de euros, enquanto no móvel caíram 3,6% para 214,7 milhões de euros.

Já o EBITDA (lucros brutos) aumentou 3,6% para cerca de 968 milhões de euros, em termos homólogos, com uma margem de 41,3%, mais 4,3 pontos percentuais, do que em 2014.

Só no quarto trimestre cresceu 16,5% em termos homólogos, consolidando o crescimento verificado no terceiro trimestre, em que o EBITDA cresceu pela primeira vez desde 2007 em Portugal.

O investimento consolidado (Capex) caiu 16,7% para 331,2 milhões de euros (397,8 milhões de euros em 2014).

Na fibra ótica, a PT Portugal atingiu no ano passado 1.166 mil de unidades geradoras de receitas (RGU).

Só no último trimestre do ano, o número de clientes do serviço de televisão aumentou em oito mil assinantes, assim como na banda larga, através da rede de fibra, cresceu em nove mil.

Destaque ainda para o crescimento do número de clientes no móvel, que no último trimestre de 2015 contou com mais 48 mil assinantes, assim como no segmento de telefone fixo ao qual se juntaram mais oito mil clientes.

A MEO fechou ainda 2015 com cerca de 4,7 milhões de casas cabladas, mais de 2,2 milhões com fibra ótica, depois de ter anunciado no final do ano passado que o objetivo é alargar a cobertura a mais três milhões de casas até 2020, altura em que quase a totalidade da população terá cobertura de fibra ótica.

O comunicado da Altice destaca ainda a aposta na convergência com 54% dos clientes de fibra a serem 4P (4 Play - internet, telefone, telemóvel e televisão) e 5P (5 Play - internet, telefone, telemóvel, televisão e tablet).

A Altice apresentou hoje os resultados do grupo, tendo registado uma ligeira queda das receitas de 0,1% para 17,4 mil milhões de euros, ao contrário do EBITDA que aumentou 17,6% para 6,6 milhões de euros. O investimento atingiu os 3,5 mil milhões de euros, um aumento de quase 20% face ao ano anterior.