Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Tecnologia digital está a mudar organização das empresas

  • 333

Líderes reconhecem a necessidade de mudança como resposta a um "ecossistema empresarial em rápida evolução", revela estudo da Deloitte

André Rosa

A evolução tecnológica e as novas dinâmicas de trabalho intergeracionais estão a motivar as empresas a redesenharem o seu modelo organizacional. Mais de 90% dos líderes empresariais e de recursos humanos identificam essa necessidade, é uma das conclusões do estudo Global Human Capital Trends 2016, da Deloitte.

O relatório explica que apesar de a maioria dos líderes reconhecer a necessidade de mudança, "apenas 14% dos executivos acreditam que a sua empresa está devidamente preparada para redesenhar, de uma forma eficiente, a sua organização". Mesmo assim, mais de metade das empresas consultadas já estão a meio de um processo de reestruturação e outras (6%) pensam avançar nesse sentido.

“Os negócios precisam de acompanhar o ritmo e responder às necessidades deste ecossistema empresarial em rápida evolução”, afirma Josh Bersin, diretor da Bersin by Deloitte, na Deloitte Consulting LLP. Dar autonomia às equipas, criar um novo modelo de gestão e desenvolver novas estruturas de liderança, "mais jovem e inclusiva", são as prioridades a que as empresas devem responder para vingar no mercado, defende o responsável.

Entre os chamados trabalhadores millennials e os da geração mais velha dos baby-boomers existe também "um novo contrato social" que está a transformar a relação entre empregados e empregadores, "alimentado pela exigência de uma rápida evolução de carreira, por condições de trabalho flexíveis e por um aumento do número de trabalhadores por conta própria ou em regime de part-time", nota o estudo.

As empresas inquiridas referem ainda a importância de atualizar as competências dos recursos humanos, no que toca à melhor utilização dos "dispositivos móveis just-in-time" para agilizar o trabalho entre equipas.

O Global Human Capital 2016 envolveu mais de sete mil líderes empresariais e de recursos humanos em 130 países.