Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Hotelaria. Investimento ultrapassa 250 milhões de euros em 2015

  • 333

A região de Lisboa continua a ser uma das mais atrativas para o investimento turístico, arrecadando mais de 50% das transações

André Rosa

O investimento em hotéis ultrapassou os 250 milhões de euros em 2015, com 16 unidades transacionadas, mais de metade das quais na região de Lisboa e as restantes no Algarve. O desempenho do turismo também foi melhor que em 2014, sobretudo em Lisboa, revela um estudo da Worx Real State Consultants.

Para este cenário contribuíram investidores nacionais - com a compra do Hotel Aviz por parte do PortBay e do Vila Galé pela Douro River & Spa -, mas foram sobretudo os estrangeiros que investiram mais, quer em número de transações quer em valor absoluto. Das 16 unidades hoteleiras transacionadas, cinco eram hotéis Tivoli e passaram para Minor Hotel Group. Entretanto, o grupo Tivoli deu continuidade este ano à alienação de outros sete hotéis.

A região de Lisboa continua a ser uma das mais atrativas para o investimento turístico e arrecadou mais de 50% das transações, contra os 30% registados no Algarve. Em 2015, abriram 16 novos hotéis no centro da cidade. A taxa total de ocupação fixou-se em 75,29%, um aumento de 2,46% face a 2014, de acordo com dados do Observatório de Turismo de Lisboa. Em média, o preço pedido por quarto foi de 63,35 euros e o conjunto de unidades cinco estrelas foi o que mais subiu.

As dormidas no país atingiram um total de 48,9 milhões, mais 8.5% em relação a 2014. “Os bons números do turismo são sustentados por uma maior procura, muito influenciada pela instabilidade dos países concorrentes de Portugal neste setor e acima de tudo um aumento significativo da qualidade da oferta turística em Portugal. Assiste-se a um melhor equilíbrio entre qualidade/preço, alcançada através de uma subida dos preços que acompanha uma melhoria na qualidade da oferta”, afirmou Alexandra Tores, da Worx, em comunicado.

Este ano, deverão abrir 23 novas unidades (mais de mil quartos), sobretudo de 4 e 5 estrelas, e quase 60% localizadas em Lisboa.