Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Corticeira Amorim, Montepio e Sonae Capital entram no PSI20, Impresa e Teixeira Duarte saem

  • 333

Composição do PSI20 é revista trimestralmente (março, junho, setembro e dezembro)

A Corticeira Amorim, o Montepio e a Sonae Capital vão passar a incluir o principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, sendo em troca excluídas a Impresa (grupo que detém o Expresso) e a Teixeira Duarte, ficando assim o PSI20 com 18 cotadas.

Estas alterações fazem parte da revisão anual do índice, anunciado esta segunda-feira pela Nyse Euronext, e tornam-se efetivas a 21 de março. Com estas alterações, o sector financeiro passa a ter três cotadas, com o Montepio a juntar-se a BPI e BCP, sendo que a Sonae Capital junta-se à sua casa-mãe, a Sonae SGPS.

A Teixeira Duarte e a Impresa, que voltarão em breve para o índice geral, tinham sido promovidas ao PSI20 no início de 2014.

Atualmente, o PSI20 é composto por 17 cotadas: EDP, EDP Renováveis, Galp, REN, Jerónimo Martins, Teixeira Duarte, Mota-Engil, NOS, Pharol, Sonae SGPS, Semapa, Portucel, Altri Impresa, CTT, BCP e BPI.

A 23 de dezembro de 2015, os títulos do Banif deixaram de integrar o principal índice da bolsa portuguesa (PSI20), na sequência da alienação do banco no contexto da medida de resolução anunciada pelo Governo e pelo Banco de Portugal.

Antes, em agosto de 2014, após a resolução do Banco Espírito Santo (BES), a Euronext tomou a mesma decisão em relação as ações do banco. E um mês antes esta situação já tinha ocorrido com a Espírito Santo Financial Group (ESFG), que era a principal acionista do BES.

A composição do PSI20 é revista trimestralmente (março, junho, setembro e dezembro).