Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Jerónimo Martins lucra mais 10%

  • 333

Grupo que controla os supermercados Pingo Doce teve lucros de 333 milhões de euros em 2015, num ano em que globalmente as suas vendas ultrapassaram os 13,7 mil milhões de euros

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O grupo Jerónimo Martins fechou 2015 com um resultado líquido positivo de 333 milhões de euros, mais 10,5% do que o lucro alcançado no ano anterior, revelou a companhia em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No mesmo comunicado, o grupo que detém os supermercados Pingo Doce informa que numa base recorrente, sem efeitos extraordinários, o seu lucro teria ascendido a 348 milhões de euros, mais 13,5% que no ano anterior.

Para o aumento do lucro da Jerónimo Martins contribuiu a melhoria do seu desempenho operacional, com as vendas a crescer 8,3% para 13,7 mil milhões de euros.

O presidente da Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos, observa que 2015 "foi um ano bom" para todas as insígnias do grupo, que "lutaram por aumentos de vendas e de quotas de mercado".

O grupo indica que a Biedronka (rede de supermercados na Polónia), o Pingo Doce e o Recheio "superaram o desempenho dos respetivos mercados, reforçando as suas quotas de mercado".

A dívida líquida da Jerónimo Martins voltou a reduzir-se, passando de 273 para 187 milhões de euros entre 2014 e 2015.