Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Lucro da NOS sobe 10,7% em 2015, para €82,7 milhões

  • 333

Receitas de telecomunicações da operadora aumentaram 3,8%, para 1372 milhões de euros. Resultado foi também “impulsionado pelo crescimento do contributo da divisão de cinemas” (19,3%) e do “negócio de audiovisuais” (22%)

Os lucros da NOS subiram 10,7% no ano passado, face a 2014, para 82,7 milhões de euros, anunciou esta terça-feira a operadora de telecomunicações, que vai propor o pagamento de um dividendo de 16 cêntimos por ação. Em igual período, as receitas de exploração subiram 4,4% para 1444 milhões de euros, acrescenta a NOS, num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As receitas de telecomunicações progrediram 3,8%, para 1.372 milhões de euros. O aumento das receitas, refere a NOS, foi também "impulsionado pelo crescimento do contributo da divisão de cinemas, em 19,3%, para 58,4 milhões de euros, e do negócio de audiovisuais em 22% para 71,3 milhões de euros".

Para o presidente-executivo da operadora Miguel Almeida, "2015 representa um ano de forte consolidação do projeto NOS", aproximando a empresa "a passos largos das metas estratégicas" propostas.

"Trimestre após trimestre, os nossos resultados demonstram uma cada vez maior adesão à proposta de valor que colocamos diariamente no mercado, traduzida em ganhos substanciais de quota de mercado em todos os serviços e emtodos os segmentos", adianta o presidente-executivo, citado no comunicado.

"Esta forte performance em termos operacionais reflete-se de uma forma significativa no desempenho financeiro com crescimento de receitas, de EBITDA e de resultado líquido, aumentando os nossos níveis de investimento e contribuindo para que a cada dia mais portugueses e empresas tenham acesso aos melhores serviços", acrescenta.

Em 2015, a empresa reforçou o investimento em 9% para 408 milhões de euros, "um valor superior ao verificado em 2014 devido ao plano de expansão de rede e à aceleração do investimento comercial". A NOS anunciou ainda que vai propor a distribuição de um dividendo de 16 cêntimos por ação, "mais 14,3% que em 2014".

De acordo com a operadora, resultante da fusão entre a Zon com a Optimus, "o número de subscritores de móvel atingiu um novo recorde, atingindo 4,123 milhões, e com adições líquidas de 479,9 mil novos clientes", traduzindo-se num aumento de 13,2%.

Relativamente à televisão por subscrição, registou-se um aumento de 4,5% para 1,543 milhões (adições líquidas de 67,1 mil clientes), enquanto a base de clientes de telefone fixo "cresceu de forma acentuada, com adições líquidas de 124,6 mil clientes, atingindo 1,602 milhões", num aumento anual de 8,4%. Já nos serviços de banda larga fixa, a operadora viu uma subida de 15,3% para 1,144 milhões, com "adições líquidas de 151,8 mil clientes".

Nos serviços empresariais, a NOS refere que houve um aumento de 198,8 mil, "refletindo o crescimento nos diferentes serviços, atingindo 1,263 milhões". Os clientes convergentes aumentaram 53,6% no ano passado.

"Em 2015, a NOS continuou a aumentar a cobertura da sua rede fixa de nova geração, aumentando o número de casas passadas em cerca de 274,4 mil. O número de lares com cobertura atinge agora 3,6 milhões face aos 3,3 milhões registados em 2014", salienta a empresa.

O segmento de cinema e audiovisuais "voltou a verificar, naquele que foi o melhor ano desde 2010, um assinalável crescimento, motivado pelo forte desempenho dos filmes exibidos e distribuídos e pelo aumento das vendass de bilhetes em 21,6% face a 2014, para cerca de 8,9 milhões".

A dívida financeira líquida ficou nos 1.048 milhões de euros, duas vezes o EBITDA.