Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas da Ásia com ganhos na abertura do G20

  • 333

As praças financeiras asiáticas fecharam esta sexta-feira a subir 0,6% na abertura da reunião dos ministros das Finanças e banqueiros centrais do G20 em Xangai. Preço do Brent fechou a subir ligeiramente com a perspetiva de reunião em março do grupo de Doha

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas da Ásia Pacífico fecharam esta sexta-feira com um ganho global de 0,6%, segundo o índice MSCI para a região, interrompendo três sessões consecutivas no vermelho.

Uma boa nova para o início da reunião do G20 em Xangai, marcado pelos avisos e recados do Fundo Monetário Internacional, apelando a uma iniciativa conjunta das grandes economias e dos principais bancos centrais para um novo ciclo de estímulos à economia mundial.

No conjunto da semana, o índice MSCI subiu 0,46%, com a bolsa de Tóquio a destacar-se, tendo o índice Nikkei 225 liderado as subidas semanais registando um ganho de 1,4%.

Depois de uma derrocada na quinta-feira, a bolsa de Xangai e o índice de referência CSI 300 (das trezentas principais cotadas nas duas bolsas chinesas de Xangai e Shenzhen) fecharam esta sexta-feira com ganhos de 0,95% e 1% respetivamente. Em termos semanais, o índice CSI 300 liderou as quebras na região, perdendo 3,4%.

Os investidores tomaram boa nota de duas tomadas de posição do banco central chinês. Em Xangai, o governador do Banco Popular da China, o banco central, afirmou hoje que o país “ainda dispõe de algum espaço para a política monetária e de múltiplos instrumentos de política para lidar com possíveis riscos descendentes”, e o próprio banco publicou uma declaração precisando que a política monetária é “prudente com um leve enviesamento para a flexibilidade”.

Os analistas interpretaram estas posições como significando um maior enfoque futuro de Pequim no recurso à política orçamental. O que coincide com a insistência do Fundo Monetário Internacional em que os grandes do G20 não depositem "um excesso de confiança na politica monetária".Aliás, o primeiro ministro chinês Li Kequiang avisou os membros do G20 que o recurso monetário ao quantitative easing pode gerar consequências negativas e pode revelar-se ineficaz para impulsionar o crescimento, segundo o relato da Bloomberg.

No Japão, espera-se que o Banco do Japão venha a anunciar mais estímulos na reunião de 14 e 15 de março, face à descida da inflação em janeiro para 0%.

As subidas diárias na região foram lideradas pela Bolsa de Hong Kong, onde o índice Hang Seng fechou a ganhar perto de 3%. Apenas a Bolsa de Sidney encerrou ligeiramente abaixo da linha de água, com o índice ASX 200 a perder 0,02%. Fechou com perdas semanais de 1,5%.

O preço do barril de petróleo de Brent subiu ligeiramente acima de 35 dólares, mantendo a trajetória de subida das duas últimas sessões, alimentada pela expetativa do grupo de Doha (Rússia, Arábia Saudita, Qatar e Venezuela) realizar uma reunião em março.

  • Depois de uma sessão com subidas na Europa, Wall Street e Nasdaq encerram esta quinta-feira com ganhos de 1,14%. Preço do barril de Brent sobe mais de 2% na parte final da sessão norte-americana, cotando-se acima de 35 dólares