Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Nova Iorque fecha a ganhar mais de 1%

  • 333

Depois de uma sessão com subidas na Europa, Wall Street e Nasdaq encerram esta quinta-feira com ganhos de 1,14%. Preço do barril de Brent sobe mais de 2% na parte final da sessão norte-americana, cotando-se acima de 35 dólares

Jorge Nascimento Rodrigues

Na véspera do início da cimeira do G20 em Xangai, as bolsas mundiais fecharam esta quinta-feira em terreno positivo, apesar da bolsa chinesa naquela cidade ter registado a quinta derrocada do ano.

As duas bolsas de Nova Iorque, que acabam de fechar, registaram subidas, prosseguindo a trajetória de alta verificada em Tóquio e nas bolsas europeias. No NYSE, o índice Dow Jones 30 subiu 1,29% e o S&P 500 avançou 1,21%. Na bolsa das tecnológicas, o índice Nasdaq composto ganhou 0,87%. O índice MSCI para os EUA subiu 1,14%

O bom desempenho das principais praças financeiras do mundo, com exceção das duas bolsas chinesas, inverteu o sentido negativo do dia anterior. O índice MSCI para as bolsas mundiais subiu 1,11% puxado pelos ganhos na Europa e em Nova Iorque. No dia anterior havia perdido 0,46%.

Na Europa, o índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) subiu 1.9%. A liderar os ganhos nas principais praças financeiras europeias, o Ibex 35 da Bolsa de Madrid registou um avanço de 2,5%. Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 subiu 1,55%. O índice MSCI para região ganhou 2,07%, depois de, no dia anterior, ter recuado 2,35%.

No mercado petrolífero, depois do preço do barril de Brent ter fechado a sessão asiática a perder 0,8% e ter iniciado a sessão norte-americana mantendo-se em queda, apesar de ligeira, o movimento de alta regressou. O preço do Brent fechou em 35,15 dólares depois de uma subida nas três últimas horas de negociação, registando um aumento de 2,2%. Nos dois últimos dias, o preço do Brent já subiu 5,6%.

As declarações do ministro de Energia russo, Alexander Novak, animaram hoje o mercado ao ter anunciado que as conversações do grupo de Doha (em que estão envolvidas a Rússia, a Arábia Saudita, o Qatar e a Venezuela) poderão estar concluídas na próxima semana.

  • Os juros das Obrigações do Tesouro português a 10 anos desceram esta quinta-feira para 3,33%. O prémio de risco da dívida portuguesa foi o que mais caiu hoje entre os periféricos. Juros das obrigações alemãs a 10 anos aproximam-se de mínimo histórico

  • A taxa de inflação anual para os 19 da moeda única em janeiro foi de 0,3%, abaixo da estimativa anterior do Eurostat que apontava para 0,4%. Seis países do euro continuam com inflação negativa. Inflação em Portugal em 0,7%