Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Apartamentos reabilitados na zona histórica de Lisboa são 38% mais caros

  • 333

Nuno Fox

Nas zonas históricas da capital o preço por metro quadrado pode ultrapassar os seis mil euros

André Rosa

Os apartamentos reabilitados à venda na zona história de Lisboa – que abrange a Baixa, Chiado e Avenida da Liberdade - são entre 18% e 38% mais caros do que outros apartamentos reabilitados noutras zonas da capital. As tipologias T2 e T3 representam a maior parte da oferta, com procura no segmento médio-alto e alto, segundo as conclusões do estudo “Reabilitação Urbana para Uso Residencial em Lisboa”, da consultora Prime Yield em parceria com a SRS Advogados.

O estudo refere que no último ano os projetos de habitação ganharam "uma enorme expressividade na nova oferta imobiliária reabilitada". A zona histórica de Lisboa "é a mais dinâmica na reabilitação para uso residencial" e agrega 67% dos apartamentos envolvidos atualmente em projetos desse tipo. O valor médio de oferta é o mais caro da cidade, situando-se nos 6.089 euros por metro quadrado (m2). Em comparação, a zona das Avenidas Novas é a segunda mais cara, com um valor médio de oferta de 5.174 euros por m2.

As diferenças acentuam-se nos apartamentos de prédios reabilitados nas Zonas de Arroios, São Vicente e Penha de França, que têm preços 35% abaixo dos da zona com o valor médio mais elevado. Já os preços de oferta dos apartamentos na Estrela e Campo de Ourique chegam a ser 38% mais baixos que os da zona histórica.

Aumento da procura interna

O documento, baseado numa amostra de 775 apartamentos, adianta que a maior parte dos imóveis encontra-se em fase de construção e que perto de 50% do volume já estará comercializado. O investimento estrangeiro tem vindo a dinamizar o setor, mas o estudo acrescenta que "atualmente os compradores internos estão também mais dinâmicos na procura por este tipo de habitação".