Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Altri triplica o lucro em 2015

  • 333

A Altri, produtora de pasta de papel, registou um lucro de 118 milhões de euros, num ano que bateu recordes financeiros e de produção

A Altri, a produtora de pasta de papel detida pelo núcleo da Cofina liderado por Paulo Fernandes, fechou 2015 com lucro de 118 milhões de euros e vendas de 665 milhões, em linha com as previsões doa analistas. O lucro obtido triplica o desempenho de 2014 (37 milhões), que fora o mais baixo desde 2011.

A faturação subiu 20% face aos 534 milhões de 2014. O resultado operacional (EBITDA), segundo o comunicado divulgado esta quinta feira pela empresa, duplicou face a 2014, atingindo os 221 milhões de euros.

A produção das suas três bases fabris(Celbi, Caima e Celtejo) superou o milhão de toneladas, batendo um novo recorde (+2%). A exportação representa 94%, surgindo a Europa como primeiro destino (77%), seguido da Ásia (9%).

Em dezembro, a Altri procedera, já por conta destes lucros, à distribuição antecipada de 51,3 milhões de euros , à razão de 0,25 euros por cada ação. Na altura a empresa justificara a remunueração aos acionistas “pela evolução favorável dos resultados e a existência de liquidez compatível com adiantamento sobre lucros”.

Em 2015, o desempenho da Altri beneficiou da conjugação da subida do preço da pasta no mercado internacional com a valorização do dólar.

Mas, neste exercício o ambiente toldou-se, com a redução na procura na China a afetar os preços da pasta. Depois de terem alcançado um máximo nos 810 dólares por tonelada em outubro, os preços europeus já estão em 764 dólares (uma queda de 6%) . Os especialistas admitem que a desvalorização pode acentuar-se um pouco mais.

Na bolsa, a Altri teve um 2015 fulgurante, mas este ano já perdeu 25% do valor. ou seja perto de 300 milhões de euros. Esta quinta-feira a empresa registou uma ligeira valorização (0,62%). A Altri é a 13ª maior capitalização do PSI-20 e tomando como a referência o desempenho a 12 meses, a empresa regista ainda uma valorização de 16%.