Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas europeias abrem no vermelho. Lisboa segue tendência

  • 333

As principais praças financeiras da Europa abriram em terreno negativo com a Bolsa de Milão a liderar as quedas. O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, negoceia a perder 0,7%. Seis bancos europeus lideram quedas. Preço do Brent em baixa

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas europeias seguem esta terça-feira a tendência asiática de quedas. Depois da região europeia ter ganho mais de 1% na segunda-feira, regressou a maré vermelha.

O índice MIB da Bolsa de Milão lidera as descidas na abertura, perdendo perto de 1%, O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, perde 0,7%, com a Sonae e a Pharol SGPS a liderarem as quedas. A trajetória em algumas praças financeiras ainda não está definida.

O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas na zona euro) abriu a perder 0,7%, com seis bancos e uma seguradora a liderarem as quedas. O grupo em destaque inclui o Deutsche Bank, Santander, Generali, ING, BNP Paribas, Intesa Sanpaolo e BBVA.

Na Bolsa de Londres, as ações do Standard Chartered Plc estão a cair a pique, depois do banco britânico anunciar 1,5 mil milhões de dólares de prejuízos antes de impostos em 2015, quando, no ano anterior, havia registado um lucro anual de 4,2 mil milhões. Ontem, ocorrera um stresse inicial em bolsa com outro importante banco britânico, o HSBC, tanto em Hong Kong como em Londres, depois de ter sido anunciado prejuízo no último trimestre de 2015.

Os futuros em Wall Street continuam em terreno negativo indiciando abertura no vermelho.

O preço do barril de Brent prossegue a descida iniciada na sessão asiática. Está, na abertura da sessão europeia, a cotar-se abaixo de 34 dólares.

Prossegue desvalorização da libra e do euro

Prossegue esta terça-feira a trajetória de desvalorização da libra na sequência da subida do risco de Brexit (possibilidade do não à União Europeia ganhar o referendo de 23 de junho) e do euro em virtude dos sinais de abrandamento da economia da zona euro.

A libra desvalorizou 0,7% na segunda-feira face ao euro e já caiu 1,4% desde 18 de fevereiro. Está em queda face ao euro desde 19 de novembro do ano passado. Face ao dólar, caiu ontem 1,8%. Os analistas apontam para o risco do Partido Conservador se partir a meio na questão do sim ou não no referendo. Vários membros do próprio executivo britânico e o próprio mayor de Londres farão campanha pela saída.

O euro desvalorizou 0,3% na segunda-feira e já caiu 2% desde 11 de fevereiro, em termos de variação face a um cabaz de divisas dos seus principais 19 parceiros. A trajetória de valorização do euro em curso desde 25 de novembro de 2015 atingiu um ponto de inflexão em 11 de fevereiro.