Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Wall Street abre em alta. Preço do Brent sobe quase 5%

  • 333

As bolsas de Nova Iorque registam ganhos na abertura. Europa prossegue trajetória de alta. PSI 20, na Bolsa de Lisboa, sobe mais de 1%. Preço do barril de Brent em 34,5 dólares face a expetativa de acordo preliminar sobre a produção até 1 de março

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas de Nova Iorque abriram em alta esta segunda-feira. No NYSE, o Dow Jones 30 abriu a ganhar 0,7% e o S&P 500 subiu 1% na abertura. Na bolsa das tecnológicas, o índice composto do Nasdaq avançou 1%.

A trajetória em Wall Street e no Nasdaq prossegue a maré verde na Ásia Pacífico, que fechou a ganhar 0,8%, e na Europa, onde o índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) está a subir mais de 2%, com destaque para o banco italiano UniCredit, a empresa de energia alemã E.On, e o banco espanhol Sanander, com ganhos superiores a 4%.

O índice MIB da Bolsa de Milão está a liderar as subidas nas principais praças financeiras europeias, com um ganho de 2,8%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 regista um avanço de mais de 1%.

As bolsas europeias não estão a ser afetadas pela divulgação esta manhã do índice PMI composto (abarcando indústria e serviços) da Markit para a Zona Euro para fevereiro que desceu de 53,6 para 52,7, apontando para abrandamento da atividade económica, mas não indicando, contudo, contração (o que seria sinalizado se o índice descesse abaixo de 50). O índice Purchasing Managers' Index reflete mensalmente a opinião dos gestores de compras em relação a cinco indicadores – novas encomendas, níveis de inventário, produção, entregas pelos fornecedores e emprego. No caso de França, o índice PMI composto caiu em fevereiro para terreno de contração económica (desceu de 50,2 para 49,8). Para a Alemanha desceu de 54,5 para 53,8. Alguns analistas interpretam estes dados como colocando mais pressão sobre a próxima reunião do Banco Central Europeu a 10 de março.

O preço do barril de petróleo de Brent, a variedade europeia de referência internacional, prossegue o movimento de alta iniciado na sessão asiática. Pelas 14h30 (hora de Portugal), o preço do Brent subia 4,7% em relação ao fecho de sexta-passada. O preço do Brent cotava-se em 34,55 dólares no início da abertura das bolsas norte-americanas.

A alimentar esta segunda-feira a subida do preço do crude, depois de duas sessões consecutivas a descer na semana passada, estão as declarações no fim de semana do ministro da Energia da Rússia apontando para 1 de março como data de conclusão das negociações para um acordo preliminar sobre a produção do crude entre o cartel petrolífero e produtores e exportadores não membros da Organização dos Países Exportadores do Petróleo.

No mercado global das matérias-primas, o movimento dos preços é de alta; apenas sete commodities em 36 seguidas pela Investing.com estão com os preços em trajetória de queda - ouro, prata, platina, nos metais, arroz em casca, porco magro, sumo de laranja e madeira serrada. A liderar hoje as subidas de preços, o petróleo, gasolina reformulada, óleo de aquecimento, e gasóleo.

  • O HSBC, maior banco da Europa, divulgou prejuízos no quarto trimestre de 2015. É o último entre os grandes bancos europeus a anunciar quebras nos resultados. E admitiu que está a ser investigado nos EUA devido às suas práticas de contratação relacionadas com governos na Ásia

  • Última semana de fevereiro inicia-se com ganhos na Ásia Pacífico e uma abertura em alta nas bolsas europeias, apesar de abalo no banco HSBC em Hong Kong. Preço do Brent sobe 2%