Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mais um banco europeu com quebras nos resultados

  • 333

O HSBC, maior banco da Europa, divulgou prejuízos no quarto trimestre de 2015. É o último entre os grandes bancos europeus a anunciar quebras nos resultados. E admitiu que está a ser investigado nos EUA devido às suas práticas de contratação relacionadas com governos na Ásia

O HSBC anunciou lucros abaixo do previsto em 2015 após registar um prejuízo de 858 milhões de dólares no quarto trimestre. O maior banco da Europa obteve lucros antes de impostos de 18,9 mil milhões de dólares no ano passado, praticamente ao nível do registado em 2014.

O banco explica os fracos resultados nos últimos três meses de 2015 com ajustamento de valores em derivados, custos legais e a venda do seu negócio do Brasil. Também foi atingido por custos de reestruturação que o HSBC tem vindo a realizar.

Além dos maus resultados, o banco admitiu que está a ser investigado pelas autoridades norte-americanas devido às suas práticas de contratação na Ásia. O polícia da Bolsa nos EUA, a Securities and Exchange Comission (SEC) iniciou em 2013 uma investigação ao JP Morgan devido à contratação de jovens parentes de líderes politicos na China ou exeutivos de topo de empresas estatais.

As ações do HSBS banco chegaram a afundar 5,4% em Bolsa hoje mas às 15H15 já só perdiam 0,42%.

Maus dias para a banca europeia

O HSBC vem juntar-se a outros grandes bancos europeus que divulgaram resultados abaixo do previsto em 2015.

O Credit Suisse registou em 2015 o primeiro prejuízo desde 2008 depois de contabilizar um imparidades na operação de banca de investimento. Os prejuízos em 2015 ascenderam a 2,94 mil milhões de francos suíços, pior do que o previsto por analistas. As ações do banco caóram 13% a 4 de fevereiro depois deste anúncio descendo para o mínimo desd21992, segundo dados da Reuters.

Também o Deutsche Bank registou prejuízos recorde em 2015, de 6,8 mil milhões de euros.

O francês Societé Generale anunciou um lucro lçíquido de 656 milhões de euros no quarto trimester de 2015, abaixo do esperado por analistas. No entanto, o lucro subiu 50% em 2015 para os quatro mil milhões de euros, o máximo desde 2010.

O espanhol Santander, o maior banco da zona euro em valor em Bolsa, registou um lucro líquido de apenas 25 milhões de euros, uma descida de 98% face a 2014, devido a custos extraordinários.

Além dos resultados e de revisões de estimativas de resultados futuros em alguns bancos, o setor tem estado sob pressão com as ações a descer a mínimos de vários anos. Os investidores estão preocupados com o contágio dos baixos preços do pe´róleo e do abrandamento do crescimento económico na China.

Além disso, a política monetária de taxas de juro baixas retira rentabilidade aos bancos, que enfrentam elevadas exigências de de rácios de capital e liquidez.

Desde o início do ano, o índice bolsista STOXX Europe para a banca regista perdas de 7,3%.