Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banca portuguesa emprestou quase €29 mil milhões sem qualquer garantia

  • 333

Bancos continuaram a ter em 2015 uma percentagem elevada de créditos sem qualquer tipo de garantia. Dados do Banco de Portugal revelam que é no sector empresarial e ao consumo que existe mais incumprimento

O Banco de Portugal revelou que em 2015 a banca tinha 28,3 mil milhões de euros de crédito concedido sem qualquer tipo de garantia. No boletim estatístico publicado esta segunda-feira, o Banco de Portugal aponta para uma descida do crédito concedido quer às empresas quer aos particulares e famílias. Só o crédito ao consumo e às empresas exportadoras subiu face a dezembro de 2014.

Em 2015, mantém-se ainda uma elevada percentagem de créditos em stock sem qualquer tipo de garantia - 22% do total dos empréstimos concedidos ao sector empresarial. Ou seja, dos dos 83,4 mil milhões de euros concedidos em 2015 18,3 mil milhões não têm qualquer tipo de garantia. Contudo, esta situação melhorou face aos últimos quatro anos. Os créditos cobertos com um tipo de garantia ascendem a 42% do total em 2015 e com dois tipos de garantias a 36% do total (as garantias podem ser reais, pessoais ou financeiras).

Apenas o crédito à habitação, pela sua especificidade, é excepção: 99% destes empréstimos - no total 103,6 mil milhões de euros, têm garantias associadas - os próprios imóveis. Já no crédito ao consumo e outros fins, quase metade dos empréstimos não têm garantias associadas. Ou seja, dos 23,8 mil milhões de crédito concedido para consumo e outros fins quase metade não têm garantias associadas.

No que toca ao crédito em incumprimento, os sectores com maiores percentagem de crédito vencido são as empresas e dentro destas as micro e pequenas empresas (com taxas de crédito vencido da ordem dos 22% e 13%, respectivamente). E também os empréstimos ao consumo cujo incumprimento ronda os 14% do total concedido em 2015.

Em dezembro do ano passado, e segundo as novas estatísticas sobre empréstimos concedidos pelo sector financeiro às famílias, por escalão de endividamento, fica a saber-se que o incumprimento é maior nos empréstimos inferiores a 5 mil euros e entre 5 mil euros e 25 mil euros (taxas de crédito vencido de 15,8% e 10,6%). Já no escalão mais elevado com empréstimos superiores a 250 mil euros, o nível de incumprimento é de 9,7%, o que quer dizer que um em cada cinco devedores está em incumprimento.