Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Governador do Banco de Portugal não se demite

  • 333

Marcos Borga

Carlos Costa está decidido a resistir à pressão do governo e o caso pode mesmo chegar até ao BCE. Quanto aos lesados, o governador do Banco de Portugal quer esclarecer quem paga, diz o “Diário de Notícias”. Está agendada para esta sexta-feira uma reunião entre BdP, CMVM e o Governo

O governador do Banco de Portugal (BdP) não se vai demitir apesar das pressões do governo e do Partido Socialista (PS).

Carlos Costa está decidido a resistir às críticas e acusações de que tem sido alvo, tanto por parte do primeiro-ministro como de Carlos César, líder do grupo parlamentar do PS, diz o “Diário de Notícias”.

O conflito ameaça chegar ao Banco Central Europeu (BCE) e Mário Draghi pode intervir se estiver em causa o estatuto de independência do governador, refere o “Jornal de Negócios”.

Quanto ao caso dos lesados do papel comercial do BES, o governador pretende esclarecer que vai pagar.

O Governo fez uma proposta de acordo extrajudicial, um mecanismo conciliatório que envolvia Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, BES e Novo Banco para resolver o problema dos pesados mas o BdP nunca aceitou. Para Carlos Costa a questão central continua a ser quem paga aos lesados.

O BdP, a CMVM e o Governo reúnem esta sexta-feira para encontrar uma solução.

Como o Expresso Diário noticiou ontem, o primeiro-ministro, António Costa, tomou conta do dossiê lesados do BES e indicou Diogo Lacerda Machado, seu amigo e homem de confiança, para liderar as negociações entre o BdP e a CMVM com vista a chegar a um entendimento.

O objetivo da reunião agendada para esta sexta-feira é estabelecer uma linha de orientação no diálogo com os lesados. Assim que estiver definida essa linha a seguir, será marcada uma reunião para negociar com os lesados.