Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

NOS avança com providência cautelar contra suspensão do Porto Canal

  • 333

MIGUEL ALMEIDA O CEO da NOS.

Nuno Botelho

Empresa contesta decisão da MEO de suspender a distribuição do Porto Canal

A NOS avançou com uma providência cautelar contra a MEO através da qual contesta a decisão de suspensão do Porto Canal, confirmou fonte oficial da empresa de telecomunicações ao Expresso. A notícia, avançada pelo jornal 'O Jogo', dá conta de que a providência cautelar deu entrada no Tribunal da Comarca de Lisboa.

O jornal desportivo refere que. se a providência for aceite, a MEO terá de libertar o sinal pelo menos durante um mês. Se as duas operadoras não chegarem a acordo nesse espaço de tempo, então terá de ser intentada uma ação definitiva contra a MEO.

A guerra entre as duas operadoras rebentou na semana passada com a decisão da MEO de suspender o acesso da NOS ao sinal do Porto Canal. A justificação para essa decisão teve a ver com a "ausência de contrapropostas concretas" para a distribuição do canal. Por seu lado, o Porto Canal disse em comunicado que o contrato com a NOS caducou a 31 de dezembro de 2014.

Já a NOS referiu, também em comunicado, que fez vários "esforços negociais" mas a MEO "revelou-se irrazoável e inflexível, não tendo nunca apresentado qualquer proposta especifica para a distribuição" do Porto Canal.