Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas viram para o vermelho na Europa

  • 333

Volatilidade subiu a partir das 10h. Bolsa de Milão lidera quedas com descida de mais de 1%. Bolsa de Lisboa no vermelho. Preço do Brent recua. Rússia e Arábia Saudita decidem estabilizar a produção diária em níveis de janeiro, mas não cortar

Jorge Nascimento Rodrigues

Reviravolta nas bolsas europeias. Índice de volatilidade relacionado com o Eurostoxx 50 sobe a partir das 10h (hora de Portugal). Principais praças financeiras entram no vermelho e Bolsa de Lisboa segue a tendência de queda. Escapa Londres. Os futuros em Wall Street continuam em terreno positivo.

A abertura desta terça-feira na Europa seguiu as pisadas da Ásia Pacífico que fechou com ganhos puxada pela subida em Xangai e Shenzhen e por um aumento no preço do barril de petróleo de Brent para o patamar dos 35 dólares na sequência da notícia que decorria uma reunião em Doha, no Qatar, entre a Rússia, Arábia Saudita, Venezuela e o anfitrião local.

O resultado da reunião acabou por não ser o desejado pelos analistas, a previsão de um corte na produção diária. Segundo informou o Qatar, os quatro decidiram apontar para uma estabilização da produção diária em níveis de janeiro, mas só se os outros grandes produtores (entre eles, outros membros do cartel da Organização dos Países Exportadores de Petróleo) apoiaram a medida. É a primeira iniciativa de cooperação em 15 anos entre a OPEP e produtores fora do cartel, como é o caso da Rússia, o segundo produtor mundial depois da Arábia Saudita.O ministro dos petróleos venezuelano informou que negociações com o Irão e o Iraque decorrerão amanhã em Teerão.

Entretanto, foram divulgados os índices do Centro ZEW alemão sobre sentimento económico na Alemanha e na Zona Euro, que refletiram a atmosfera pessimista das últimas semanas. O primeiro desceu abruptamente de 10,2 em janeiro para 1 em fevereiro. O segundo caiu de 22,7 para 13,6 no mesmo período.

As quedas dos dois índices de sentimento económico têm a sua razão de ser: "A desaceleração que ameaça a economia mundial e as consequências incertas da queda do preço do petróleo colocam uma pressão sobre o indicador ZEW de sentimento económico. Em virtude destes desenvolvimentos, a preocupação com um aumento do risco de incumprimento já causou a queda dos valores das ações e títulos para muitos bancos na Europa, Japão e EUA", referiu o professor Sascha Steffen, diretor do Departamento de Investigação daquele Centro alemão.

Pelas 10h30, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, descia 0,4% e o Eurostoxx 50 caía 0,4%. A liderar as quedas na Europa, a Bolsa de Milão, com o índice MIB a perder 1,3%.

O preço do barril de petróleo de Brent caiu, entretanto, de 35,28 dólares, no fecho da sessão asiática, para 33,83 dólares pelas 10h.