Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal destaca-se na queda dos juros da dívida

  • 333

Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos desceram ao final da tarde no mercado secundário para 3,56%. O prémio de risco baixou. O movimento de descida abrange os periféricos, com exceção da Grécia

Jorge Nascimento Rodrigues

As yields das Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos continuaram esta segunda-feira no mercado secundário da dívida a trajetória de descida já registada no final da semana passada depois de terem atingido a 11 de fevereiro, uma quinta-feira negra, um pico de dois anos subindo até 4,5%.

Esta segunda-feira, as yields das OT a 10 anos atingiram um mínimo do dia em 3,48% ao final da manhã, mas acabaram por subir à tarde, estabilizando no patamar dos 3,5%. Pelas 16h30 (hora de Portugal), as yields da linha obrigacionista que vence em julho de 2026 registavam 3,56%.

Até, agora, não é, ainda, visível qualquer impacto significativo da intervenção esta tarde do presidente do Banco Central Europeu (BCE) no Parlamento Europeu garantindo que o banco central poderá agir em março. Mario Draghi, o presidente, declarou que o BCE não hesitará em tomar mais medidas de estímulos se a análise da situação de turbulência financeira e de continuação do impacto da quebra de preços das matérias-primas mostrar que estes factores estão a dificultar a “transmissão” da política monetária de alívio.

A descida de 17 pontos base nas yields das OT a 10 anos em relação ao fecho de sexta-feira passada é a maior no conjunto dos periféricos; as yields desceram três pontos base para as obrigações espanholas e italianas e dois pontos base para as irlandesas. As yields das obrigações gregas prosseguiram a trajetória de subida.

O prémio de risco da dívida portuguesa baixou às 16h30 (hora de Portugal) para 332 pontos base, o equivalente a 3,32 pontos percentuais de diferencial em relação ao custo de financiamento da dívida alemã. Está mais de 100 pontos base (o equivalente a 1 ponto percentual) abaixo do pico de 11 de fevereiro, quando atingiram 438 pontos base, um máximo desde outubro de 2013.

  • A terceira semana de fevereiro abre com os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos a caírem para 3,6% no mercado secundário, depois de um pico de 4,5% na quinta-feira passada. O prémio de risco da dívida portuguesa continua a descer