Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Com que famílias vai o OE gastar mais?

  • 333

Maior parte do esforço orçamental do governo dirige-se a famílias com rendimentos acima de €1400

A expressão ‘austeridade de esquerda’ já foi usada por diversas vezes a propósito deste Orçamento do Estado (OE) embora o Governo a tenha sempre recusado. Se o objetivo é, simplesmente, dizer que há austeridade no documento e que esta é aplicada por um partido de centro-esquerda apoiado à sua esquerda por PCP, PEV e Bloco de Esquerda, é uma verdade absolutamente indesmentível. No entanto, se a ideia, como parece ser a intenção de quem recorreu à expressão, é definir um conjunto de medidas que, embora aumentem a pressão orçamental, tendem a proteger os escalões mais baixos de rendimento, promovendo a equidade, pode não ser totalmente verdade.

O Expresso fez as contas ao impacto das medidas que afetam as famílias por escalão de IRS e verificou que, embora os mais baixos sejam beneficiados, os rendimentos ‘médios’ que vão dos €500 mensais aos cerca de €1400 saem a perder. São 1,1 milhões de famílias, quase um quarto das existentes em Portugal, que recebem do pacote orçamental menos do que aquilo com que são chamados a contribuir. Na prática, recebem essencialmente a sobretaxa de IRS, por serem o escalão que terá a maior redução (de 3,5% para 1%), mas pagam uma parte significativa do agravamento de impostos sobre o consumo.

Leia mais na edição deste fim de semana