Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Juros da dívida portuguesa acima de 4,5%. Prémio de risco dispara

  • 333

Depois de terem fechado em 3,71% na quarta-feira, o disparo dos juros das Obrigações do Tesouro português a 10 anos já soma mais de 80 pontos base na sessão da manhã desta quinta-feira. Prémio de risco acima de 430 pontos base, um máximo de 28 meses

Jorge Nascimento Rodrigues

O prémio de risco da dívida portuguesa disparou esta manhã de quinta-feira quase 100 pontos base, o equivalente a 1 ponto percentual. O prémio subiu de 346 pontos base no fecho de quarta-feira para 438 pontos base ao final da manhã, um nível que já não se registava desde outubro de 2013.

O prémio de risco da dívida portuguesa galgou o limiar dos 400 pontos base em fevereiro de 2011, quando acelerou a crise das dívidas soberanas nos cinco periféricos da zona euro.

Este salto no prémio de risco deriva do facto de as yields das Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos (na linha que vence em julho de 2026) terem subido para mais de 4,5% no mercado secundário, enquanto o custo de financiamento da dívida alemã no mesmo prazo baixou para 0,15%.

O disparo nas yields das OT e no prémio de risco da dívida portuguesa é incomparavelmente superior às subidas que estão a registar-se para os outros três periféricos sob ataque no mercado da dívida. No caso grego, a subida nas yields das obrigações a 10 anos é de 32 pontos base (com o nível em 11,58%), para as obrigações espanholas e italianas é de 11 pontos base. O prémio de risco grego subiu 41 pontos base (estando acima de 11 pontos percentuais em relação ao custo de financiamento da dívida alemã). Nos casos espanhol e italiano aumentou 21 pontos base.

Esta quinta-feira negra está a ser marcada por uma quebra geral acentuada nas bolsas europeias e por este ataque às dívidas periféricas com destaque para Portugal. Entretanto, em virtude dos riscos globais já ontem assinalados pela presidente da Reserva Federal norte-americana, o banco central da Suécia, o Riksbank, decidiu hoje agravar a taxa de juros de referência de -0,35% para -0,5%.

  • Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos abriram esta quinta-feira em alta no mercado secundário. Em virtude de nova descida dos juros das obrigações alemãs, que servem de referência, o prémio de risco da dívida portuguesa subiu para mais de 3,7 pontos percentuais, o que já não se registava desde há mais de dois anos