Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Novo “Continente Negócios” quer bater Staples em quatro anos

  • 333

Sonae MC lança nova unidade de negócio para fornecer de material de escritório a empresas. Objetivo é bater o atual líder de mercado até 2020 e atingir uma faturação média de 30 milhões de euros por ano

O grupo Sonae quer liderar o mercado português de fornecimento de material de escritório num horizonte de quatro anos. O objetivo vai ser perseguido pela nova insígnia criada pela Sonae MC, o "Continente Negócios", que colocará ao serviço das empresas portuguesas um catálogo de produtos que vão desde o papel e material de escrita e escritório, material de arquivo, mobiliário, produtos de higiene e limpeza, alimentação e farmácia.

O desafio de bater a Staples no mercado português foi assumido hoje pela administradora da Sonae MC, Inês Valadas, num encontro com jornalistas para apresentar esta nova unidade de negócio, desenvolvida pela Sonae ao longo dos últimos dois anos e meio. O objetivo é atingir uma faturação média anual "em velocidade de cruzeiro" de 30 milhões de euros e conseguir assim ultrapassar a quota de mercado que a multinacional Staples tem em Portugal.

A aposta nesta área de negócio teve por base a forte implantação que o Continente já tem na área de papelaria para clientes residenciais. "Devemos ser das poucas cadeias de supermercados no mundo que também é líder na área de papelaria. E percebemos que essa base na área residencial era ótima para arrancar com o negócio empresarial", explicou Inês Valadas.

A isso acresceu, segundo a responsável da Sonae MC, a constatação de que o mercado português de fornecimento de material de escritório para empresas "não é muito competitivo", tanto ao nível do preço como "do serviço, do atendimento especializado ou da gama de produtos" disponíveis.

Nessa perspetiva, uma das mais-valias que o "Continente Negócios" pretende introduzir no mercado é o conceito de "one stop shop", que permita aos empresários comprar num único sítio todo o tipo de produtos que são necessários para o dia a dia de um escritório.

Ao contrário da Staples, que tem em Portugal 34 lojas físicas, o "Continente Negócios" terá uma lógica de funcionamento exclusivamente online, com ofertas e serviços segmentados para cada tipologia de clientes, sejam eles empresários em nome individual, micro empresas, PME ou grandes empresas. Excluindo os empresários em nome individual, a ambição da Sonae MC é que esta nova unidade de negócio atinja um patamar de 33 mil clientes empresariais, dos quais 3 mil PME e grandes empresas e 30 mil micro empresas. O break even do projeto deverá ser atingido no terceiro ano de operação.

A criação do "Continente Negócios" contou com um investimento de 1 milhão de euros, sem contabilizar os recursos humanos adjudicados ao projeto e o desenvolvimento da plataforma tecnológica que o sustenta. Até ao momento, esta unidade de negócio deu origem à contratação de 10 trabalhadores especificamente alocados à nova insígnia, aos quais acresceram, no desenvolvimento do projeto, os vários trabalhadores das restantes unidades da Sonae MC que colaboraram com este lançamento.

Após o lançamento do "Continente Negócios", a Sonae MC prepara-se também para diversificar a sua oferta nesta mercado através do lançamento de serviços 'verticais' para áreas específicas. Uma unidade de negócio específica para hotéis poderá, nesse contexto, ser uma realidade a breve prazo e através da qual a Sonae MC pretende explorar a valência de marcas próprias como a "Kasa", nas áreas de loiça ou atoalhados para o lar, por exemplo. "Nas áreas não alimentares o Continente já compete taco a taco com especialistas como a Fnac, Staples ou Ikea", contextualizou Inês Valadas.