Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Principais bolsas europeias caem mais de 1%, lideradas por Milão

  • 333

Os índices bolsistas de Milão, Madrid e Paris já estiveram a cair perto de 2%. O PSI 20, da Bolsa de Lisboa, oscila em torno de uma queda de 1%. Preço do barril de Brent continua a descer

Jorge Nascimento Rodrigues

A meio da manhã de terça-feira, as bolsas europeias estão a negociar no vermelho. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas na zona euro) perdia cerca de 1,5%. As sete principais bolsas da União Europeia (UE) registavam quedas superiores a 1%, com Milão a liderar com o índice MIB a descer perto de 2%. Seguem-se Madrid e Paris, com os índices Ibex 35 e Cac 40 com perdas acima de 1,8%. Nas bolsas dos outros periféricos do euro, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, é o que menos cai, com uma quebra em torno de 1%, face a perdas de 1,3% em Atenas e 1,4% em Dublin. Na Europa, fora da UE, o SMI de Zurique recuava 1,6% e o RTSI (denominado em dólares) de Moscovo perdia mais de 3%.

Os futuros em Wall Street estão em terreno negativo, indiciando uma abertura de Nova Iorque no vermelho pelas 14h30 (hora de Portugal). O índice MSCI para os Estados Unidos perdeu ontem 0,02%, com os dois principais índices de Wall Street a fecharem em baixa.

As bolsas europeias registaram ontem um ganho de 0,43%, segundo o índice MSCI para a região. Já esta terça-feira, a Ásia Pacífico fechou no vermelho, com a exceção das bolsas chinesas de Xangai e Shenzhen.

O preço do barril de Brent, a variedade europeia de referência internacional, continua a trajetória de queda iniciada na segunda-feira, cotando-se, a meio da manhã da sessão europeia, abaixo de 33 dólares, uma descida de mais de 3% face ao fecho de ontem em 34,13 dólares. O preço do Brent esteve em alta cinco dias consecutivos no final de janeiro chegando quase a cotar-se em 36 dólares, mas depois regressou a uma trajetória descendente à medida que se esfumou o rumor sobre um futuro acordo entre o cartel da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e a Rússia para um corte “coordenado” da produção.

Segundo dados divulgados esta terça-feira, o processo de deflação dos preços na produção na zona euro continuou em dezembro do ano passado, com o índice IPP a cair 3%. A taxa de desemprego na zona euro baixou ligeiramente de 10,5% em dezembro para 10,4% em janeiro, um mínimo de cinco anos.

  • As posições inverteram-se esta terça-feira. Tóquio fechou com perdas e as duas bolsas chinesas registaram ganhos superiores a 2%. As restantes principais bolsas asiáticas encerraram com os índices em queda. Preço do Brent continua a cair