Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

PT será “centro nevrálgico de inovação” da Altice e concentrará 70% dos trabalhadores

  • 333

Helena Costa

A Altice entusiasmou-se com a PT Inovação em Aveiro e vai fazer dela o centro de investigação em inovação do grupo franco-israelita. Dos mil trabalhadores dedicados à área, 70% estarão em Portugal

Os novos donos da PT Portugal decidiram fazer da PT Inovação, com sede em Aveiro, o centro nevrálgico e de coordenação da investigação em inovação tecnológica do grupo, a que vão chamar Altice Labs, empresa que será lançada hoje, com a presença do magnata Patrick Drahi, maior acionista da Altice. Um evento onde estará também o acionista português da Altice, Armando Pereira e o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

A PT Inovação será a base do ecossistema de inovação global da Altice, com ramificações por França, Israel, Estados Unidos e República Dominicana. “Portugal é a geografia com maior potencial ao nível da investigação e inovação. E a mais recente organização do grupo, a Altice Labs, vai ter o seu quartel general em Aveiro, com filiais e pequenas delegações em outros países”, explicou ontem Alexandre Fonseca, administrador para a área tecnológica da Altice, num encontro com jornalistas. A PT Inovação tinha as infraestruturas e as pessoas indicadas para liderar o projeto de inovação do grupo, admitiu.

A Altice Labs é um projeto global, para servir 200 milhões de pessoas nas 15 geografias em que o grupo está presente. A empresa vai ser um fornecedor de tecnologia para as empresas do grupo, vai adaptar os produtos às características das diferentes operações da Altice, mas também vender serviços para terceiros, acrescentou na apresentação da Altice Labs, em Aveiro.

A Altice Labs arranca com cerca de mil trabalhadores, dos quais 70% estarão para já em Portugal. A PT Inovação tem atualmente cerca de 650 trabalhadores.

Alexandre Fonseca garantiu que a Altice vai investir fortemente na inovação, mas não adiantou valores, disse apenas que os “montantes serão significativos”. “Setenta por cento dos recursos da Altice Labs estarão em Portugal, é aqui que está a maior capacidade operacional, é normal que a parte mais relevante esteja aqui”, admitiu.

Para construir o ecossistema de negócios Altice, adiantou Alexandre Fonseca, a empresa vai ter como parceiros universidades, start ups e fornecedores, e irá concorrer a fundos comunitários. Procedimentos que, frisou, a PT Inovação já tem, mas serão agora reforçados.

"Queremos ser uma referência nos negócios, mas também nas tecnologias. E ser líderes em qualidade e excelência, por isso esta área é fundamental", sublinhou o administrador.