Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Levantada suspensão das ações da Mota-Engil após perdas de 22%

  • 333

Comissão do Mercado de Valores Mobiliários pediu esclarecimentos à empresa, que já os prestou. Queda abrupta dos títulos marcou a manhã na bolsa portuguesa

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) determinou ao início da tarde o fim da suspensão da negociação das ações da Mota-Engil, após a empresa ter prestado esclarecimentos ao mercado.

Num comunicado divulgado no site da CMVM, o grupo diz "que desconhece qualquer facto que possa minimamente justificar o comportamento da cotação da sua ação".

"O conselho de administração da CMVM deliberou o levantamento da suspensão da negociação das ações da Mota-Engil por terem cessado os motivos que justificaram a suspensão", refere a nota do regulador.

As ações do grupo chegaram a cair mais de 22% na manhã desta segunda-feira, antes da sua negociação ser suspensa por ordem do polícia da Bolsa. Antes da suspensão, as ações da Mota-Engil desciam 21,6% para 1,13 euros. Depois da retoma, seguiam às 14h15 a cair 12%, para 1,269 euros.

Grupo tenta acalmar investidores

A empresa frisa que apesar da conjuntura muito difícil em 2015, durante o quarto trimestre registou "transversalmente nas três regiões (Europa, África e América Latina) um fluxo positivo em termos de recebimentos que permitiu a redução assinalável dos níveis consolidados de endividamento entre final de setembro e final de dezembro".

Salienta ainda que o grupo "tem implementado a política de refinanciamento da sua dívida em linha com o seu plano, com várias operações concluídas durante o quarto trimestre de 2015 e já durante os primeiros dias de 2016, política essa que tem como objetivos centrais a redução do custo e o aumento da maturidade média".

E sublinha o "aumento assinalável da atividade na América Latina, que, pela primeira vez, em novembro ultrapassou em volume de negócios, a região de África".

Neste momento, a Mota está a preparar " uma alteração orgânica e de gestão ao nível das subholdings que apoiam na coordenação da atividade de cada uma das referidas regiões, de que se destaca a de África, no sentido de alinhar ainda mais os objetivos do grupo com a realidade e contexto específicos dos mercados".

Do ponto de vista estratégico, frisa ainda que na atividade da engenharia e Cconstrução a anunciada focalização na área de recolha e tratamento de resíduos contém duas vertentes. A primeira é o crescimento deste segmento e sua internacionalização, nomeadamente com novas operações na América Latina e em Omã. "A segunda passa pela venda de ativos com nível elevado de maturidade (nomeadamente nos segmentos das concessões de transporte e logística) e que tem sido efetuada com reconhecido sucesso".

[Texto atualizado às 15h25]