Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“Quer fatura com NIF? - Não, deixe estar...”

  • 333

Se o problema de pedir fatura com número de contribuinte era dar trabalho a quem está na caixa ou o facto de ter uma fila atrás de si para pagar, agora já não tem desculpa. Nem é preciso dizer o número

Pedro Andersson/Sic

É LER... E FAZER. Um painel de informação de um supermercado no qual é visível o cartão que se pode imprimir a partir do portal e-fatura

É LER... E FAZER. Um painel de informação de um supermercado no qual é visível o cartão que se pode imprimir a partir do portal e-fatura

d.r.

Continuo a ouvir dezenas de vezes esta resposta de pesosas que estão à minha frente nas filas em cafés, restaurantes e supermercados. Fico sempre perplexo, porque de certeza que estão a perder dinheiro. Será que é por preguiça, por vergonha, para não dar trabalho? Sinceramente, não sei.

Seja como for, as faturas que devia ter pedido para ter deduções no IRS de 2015 já estão fechadas. Acabou a 31 de dezembro. Espero que tenha aprendido a importância de passar a pedir todas as faturas com o seu NIF. Se ainda não aprendeu, vai provavelmente aprender quando receber a nota de liquidação do IRS, daqui a alguns meses.

Mas por acreditar que em 2016 vai passar a pedir mais faturas com NIF, vou agora dar-lhe uma dica que me facilitou a vida ao longo do ano. Como já disse em crónicas anteriores, passei a pedir fatura de tudo, até do café. Ora isso, de facto, pode ser incómodo. Chateia quem está atrás de nós, dizer o nosso NIF em voz alta é uma violação de privacidade e, às vezes, pela reação de alguns à nossa volta, até parece que estamos a cometer um crime.

Vamos à dica: no seu portal e-Fatura tem, ao fundo, um link onde pode imprimir uma pequenina folha de papel que pode simplificar bastante este processo burocrático. Poupa o seu tempo e o do comerciante e protege a sua privacidade. Depois de entrar com a sua password, o próprio portal gera um código de barras com o seu NIF e com a mensagem “Por favor passe fatura com o número de contribuinte: XXXXXXXXX”. É só imprimir.

Ou seja, foram raras as vezes em 2015 em que me ouviram a um balcão ou caixa de supermercado pedir fatura com NIF. Entrego o dinheiro ou o cartão multibanco juntamente com o papelinho com o NIF, o comerciante lê o cartão e já nem pergunta nada. Passa a fatura com o meu NIF e pronto. Eles até agradecem... Basta passar o código de barras na máquina e nem têm o trabalho de estar a digitar o número. Por exemplo, no Pingo Doce até têm cartazes a explicar como as pessoas podem (e devem) usar este pequeno cartãozinho, com a fotografia dele e tudo. Poupa-lhes imenso tempo na altura do pagamento e todos ficam satisfeitos. Passam o cartão como se fosse apenas mais um produto das compras.

Ninguém ao lado ou atrás tem de saber que quero fatura, nem qual é o meu número de contribuinte (por ter de o dizer em voz alta). Evita aquele momento constrangedor do “Ah, pode repetir? Enganei-me no número.” E estamos ali a repetir 4 vezes o nosso NIF até acertarem. Já para não falar de quando queremos pedir fatura com NIF e não nos lembramos do número.

Se perder o papel ou ele se gastar só tem de voltar ao portal e-Fatura e imprimir outro. Simples, prático e eficaz. Sendo uma ideia do Estado, é de louvar.

Se o problema de pedir fatura com NIF era dar trabalho, agora em 2016 já não tem desculpa.