Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas chinesas perdem mais de 3%. Ásia fecha no vermelho

  • 333

Xangai e Shenzhen voltaram às quedas. O resto das principais praças financeiras da Ásia Pacífico também caíram, com exceção de Taiwan. Preço do barril de Brent desceu para 30,35 dólares, durante a sessão asiática

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas chinesas voltaram ao vermelho esta sexta-feira. As quedas registadas nos diversos índices são, hoje, superiores a 3%. O índice composto de Xangai perdeu 3,55% e o índice similar de Shenzhen recuou 3,4%. O índice CSI 300 (das trezentas principais cotadas nas duas bolsas), que serve de referência, caiu 3,19%. As bolsas chinesas já registam seis quedas em 10 sessões, incluindo três derrocadas, com perdas acima de 5%, nos dias 4, 7 e 11 de janeiro. Desde o início do ano, o índice de Xangai já perdeu 18% e o de Shenzhen recuou 22,2%.

A maré vermelha espalhou-se esta sexta-feira por todas as principais praças financeiras da Ásia Pacífico, com exceção de Taiwan, que registou uma subida ligeira de 0,25%. Em Tóquio o índice de volatilidade ligado ao Nikkei 225 subiu 4%. As perdas na bolsa nipónica foram, contudo, muito inferiores às de ontem, registando, esta sexta-feira, quedas de 0,54% no Nikkei 225 e 0,29% no TOPIX.

A liderança das quedas na Ásia Pacífico coube, hoje, às bolsas chinesas, que, ontem, haviam registado subidas, ao contrário de Tóquio que caiu mais de 2%.

Os futuros do Dax em Frankfurt e do Dow Jones e S&P 500 em Wall Street estão no vermelho.

O índice MSCI para a Ásia Pacífico perdeu 1,72% na quinta-feira e hoje deverá manter-se no vermelho. À hora de fecho das bolsas chinesas, o Hang Seng, o índice de Hong Kong, perdia mais de 1% e, na Bolsa de Mumbai, os dois principais índices indianos estavam no vermelho.

Na quinta-feira, o índice MSCI para a Europa perdeu 1,52%, mas o índice para os Estados Unidos ganhou 1,64%, o que permitiu ao índice mundial subir ligeiramente 0,2%.

O preço do barril de petróleo de Brent caía 2,2% para 30,35 dólares pelas 7h (hora portuguesa) desta sexta-feira. Esteve em queda durante toda a sessão asiática, depois de ter fechado na quinta-feira em 31,12 dólares, registando uma subida de 2,7%, após nove dias consecutivos de descida, com uma derrocada de 6% a 6 de janeiro.

Durante esta semana, o barril de Brent já cotou a menos de 30 dólares, fixando um novo mínimo de quase 12 anos. O seu preço já caiu 18,6%, desde início do ano.

  • As duas bolsas chinesas registaram ganhos esta quinta-feira, depois das perdas no dia anterior. Agora foi a vez do Japão empurrar a Ásia Pacífico para o vermelho, com quedas superiores a 2% em Tóquio. Preço do Brent fixou novo mínimo abaixo de 30 dólares durante a sessão asiática

  • Depois de um fecho em terreno negativo em Nova Iorque no dia anterior e na Ásia esta quinta-feira, as principais bolsas europeias iniciaram a sessão com quedas superiores a 1%. O PSI 20, da Bolsa de Lisboa, segue a trajetória europeia