Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Wall Street abre em terreno positivo e Europa consolida subida

  • 333

Apesar de a Ásia ter fechado “mista”, com uma quebra de mais de 2% em Tóquio, a Europa resistiu e Nova Iorque abriu com ganhos. Preço do barril de petróleo, depois de mínimos no fecho da sessão asiática, inverte trajetória e está em alta

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas de Nova Iorque abriram esta terça-feira em terreno positivo. Poucos minutos depois do início da sessão, o índice geral do Nasdaq já subia mais de 1% e os índices Dow Jones 30 e S& 500 avançavam em direção a ganhos de 1%.

Apesar da Ásia Pacífico ter fechado “mista”, com as duas bolsas chinesas a registarem ganhos mas Tóquio a cair mais de 2%, a Europa e, agora, Nova Iorque resistiram ao pessimismo na maioria das principais praças financeiras do Extremo Oriente.

No Médio Oriente, as bolsas do Egito e do Qatar lideraram as quedas, registando perdas de 2,58% e 2% respetivamente, e, na importante bolsa de Riade, o índice Tadawull perdeu 1,75%. O índice da Bloomberg para os países do Conselho de Cooperação do Golfo perdeu hoje 1,59%. A bolsa de Moscovo, que havia aberto no vermelho, com perdas superiores a 1% no índice MICEX e de mais de 2% no RTSI, inverteu a trajetória e está com ganhos.

Na Europa, os índices Cac 40 de Paris, Dax de Frankfurt, WIG 90 de Varsóvia e PSI 20 de Lisboa estão a registar ganhos acima de 2%. Todas as restantes importantes praças financeiras europeias sobem mais de 1%.

A reviravolta em Moscovo e a resistência europeia e norte-americana acompanham a inversão de trajetória no preço do barril de petróleo. Durante a sessão asiática, o preço do Brent desceu até 30,77 dólares, um novo mínimo desde fevereiro de 2004, mas, a partir das 6h30 (hora portuguesa), regressou a um movimento altista. Aquando da abertura da sessão norte-americana, o barril cotava 32,30 dólares.

  • As bolsas chinesas fecharam em terreno positivo, depois de forte intervenção de bancos públicos. Tóquio regista quedas há seis sessões consecutivas. Preço do barril de Brent já negociou em 30,77 dólares, um mínimo desde a primeira metade de fevereiro de 2004. OPEP poderá convocar reunião extraordinária