Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Francisco Pedro Balsemão substitui Pedro Norton como CEO da Impresa

  • 333

Pedro Norton vai deixar a liderança executiva da Impresa, cargo que ocupava desde julho de 2012. Francisco Pedro Balsemão - filho do fundador do grupo, Francisco Pinto Balsemão, e atual administrador da empresa -, será, a partir de março, o novo CEO da holding que detém o Expresso, a SIC, a Caras e a Visão, entre outros meios

O grupo Impresa, proprietário do Expresso, da SIC e da Visão, anunciou esta tarde, em comunicado enviado à CMVM, a nomeação de Francisco Pedro Balsemão como novo administrador-delegado (CEO) da empresa.

O até agora COO do grupo com os pelouros dos recursos humanos, assuntos legais e sustentabilidade substitui assim Pedro Norton na liderança executiva da Impresa, depois de este ter decidido apresentar a sua renúncia ao cargo. A mudança terá efeito a partir de 6 de março, data para a qual ficou agendada a saída formal de Norton do grupo.

Na sequência da renúncia de Norton, o presidente do grupo, Francisco Pinto Balsemão, propôs ao Conselho de Administração da Impresa a nomeação de Francisco Pedro Balsemão como próximo CEO do grupo. E a proposta foi aprovada por unanimidade.

Francisco Pedro Presas Pinto Balsemão tem 35 anos e é membro da Comissão Executiva e COO do grupo Impresa desde outubro de 2012. Curiosamente, chega à liderança da Impresa com a mesma idade com que o seu pai, Francisco Pinto Balsemão, fundou o semanário Expresso, jornal a partir do qual viria a construir um dos principais grupos de media do pais.

Licenciado em Direito, pela Universidade Nova de Lisboa, Francisco Pedro Balsemão tem também o Mestrado em Direito pela Universidade de Oxford (Inglaterra). Fez ainda o Curso Geral de Gestão, na Nova School of Business and Economics, e programas avançados de gestão na Kellogg School of Management (Chicago) e na IMD Business School (Lausanne).

A sua carreira profissional foi iniciada em 2003, como advogado na Linklaters, em Lisboa, tendo mais tarde trabalhado como consultor de recursos humanos na empresa Heidrick & Struggles, antes de integrar a Impresa, em 2009, como Diretor de Recursos Humanos. Antes disso, (2007), esteve uma temporada na Missão de Portugal junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, na Comissão dos Direitos Humanos.

Recorde-se que Pedro Norton assumiu o cargo de CEO do grupo Impresa em julho de 2012, depois de um trajecto de mais de 20 anos em vários cargos na estrutura da empresa.

A nomeação de Norton ocorreu então no âmbito de uma reorganização do funcionamento da Impresa ao nível da gestão de topo. O principal efeito dessa medida adotada pelo conselho de administração do grupo foi a nomeação do até então vice-presidente da comissão-executiva da Impresa, Pedro Norton, para o cargo de CEO. Francisco Pinto Balsemão passou então a assumir o cargo de presidente da Impresa, estatuto que irá manter no novo organigrama.

Numa carta enviada aos trabalhadores da Impresa, Francisco Pinto Balsemão explica que Pedro Norton lhe manifestou "há largos meses a sua vontade de, sem pressas nem precipitações, dedicar a sua vida profissional a outras áreas de atividade e, por conseguinte, a outras entidades empresariais". E que depois de não ter conseguido demovê-lo dessa decisão, ficou acordado entre ambos que a saída ocorreria "depois de fechado o Orçamento para 2016", de concluída a reestruturação feita pelo grupo em Novembro e de garantida a assinatura de "alguns contratos importantes cuja negociação estava em curso, nomeadamente com a Vodafone e a Meo, o que aconteceu em Dezembro".

A manutenção de Norton no cargo até 6 de março é justificada com o objetivo de garantir que a transição se processe com "a suavidade e calma" a que o grupo diz ter habituado os seus "stake holders, acionistas e trabalhadores, clientes e fornecedores, bancos e reguladores, sindicatos e associações empresariais".

Também em carta enviada aos trabalhadores, Pedro Norton justificou a decisão de renunciar ao cargo de CEO da Impresa com a convicção de que chegara "a altura certa, para a Impresa e para mim, de fechar um ciclo e de abrir outro."