Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Ásia fecha “mista”

  • 333

Xangai e Sidney fecharam com quedas e Hong Kong registou subida. Preço do petróleo está sem alteração depois das quebras de quarta-feira

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas de Shenzhen, Sidney e Xangai fecharam esta quinta-feira com quedas, mas Hong Kong e Taipé encerraram com ganhos. A Ásia Pacífico foi a primeira “região” dos mercados financeiros a concluir o ano de 2015. Entre as grandes praças financeiras asiáticas, Tóquio esteve encerrada e Hong Kong funcionou meio dia.

O índice Hang Seng, de Hong Kong, subiu 0,11% e o índice geral de Taiwan ganhou 0,7%. Em contraste, o índice ASX 200 de Sidney perdeu 0,45%, o índice composto de Xangai recuou 0,94% e o índice composto de Shenzhen caiu 1,81%.

Os preços do barril de petróleo mantinham-se esta quinta-feira, na abertura da sessão europeia, sem grandes alterações, em torno de 36,6 dólares para o Brent, a variedade europeia que serve de referência internacional, e para o WTI, a variedade norte-americana. Na quarta-feira, os preços do crude voltaram a registar quedas, de quase 2% para o Brent e de quase 1,5% para o WTI.

Balanço anual desigual na Ásia

Na Ásia, a primeira região a fechar a porta de 2015, o balanço do ano é desigual. Nas principais praças financeiras, a maior subida em 2015 registou-se com o índice composto de Shenzhen, a segunda bolsa chinesa situada na região de Cantão, que subiu 63,2%, e a maior descida com o índice geral de Taiwan que recuou 10,41%.

Na região, a bolsa nipónica, as duas bolsas chinesas e a bolsa de Seul (Coreia do Sul) fecharam com ganhos anuais, enquanto Hong Kong, Sidney (Austrália) e Taipé (Taiwan) encerraram com quedas anuais.

Na China, apesar da dura crise de agosto, as duas bolsas tiveram ganhos anuais de 9,41% no índice composto de Xangai e de 63,15% no índice composto de Shenzhen. Em termos de capitalização bolsista, Xangai é atualmente a quinta maior bolsa do mundo e Shenzhen a sexta. O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio, a quarta mais importante do mundo, registou ganhos anuais de 9,07%. O índice Kospi, de Seul, subiu 2,39% em 2015.

No lado negativo em 2015, o índice geral de Taiwan recuou 10,41%, o índice Hang Seng, de Hong Kong, a oitava bolsa mais importante do mundo, caiu 7,2%, e o ASX 200 de Sidney perdeu 2,1%.

A grande alteração na Ásia ocorreu com a descida da bolsa de Hong Kong para a oitava posição mundial e a subida da bolsa de Shenzhen para o quinto lugar, segundo dados até final de novembro, segundo dados da World Federation of Exchanges (WFE). Nos dados da WFE não está incluida a bolsa de Londres, London Stock Exchange.

As 10 bolsas mais importantes do mundo são por ordem decrescente de valor de capitalização bolsista (avaliado em dólares) das entidades associadas do WFE até final de novembro: NYSE (EUA), Nasdaq (EUA), Tóquio (Japão), Xangai (China), Shenzhen (China), Euronext (pan-europeia abrangendo Bélgica, França, Holanda, Portugal e Reino Unido), Mumbai (Índia), Hong Kong, Frankfurt (Alemanha) e Zurique (Suíça).

Os dados mais recentes, relativos a final de novembro, foram fornecidos em dezembro pelo relatório mensal do WFE.