Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

As perdas nos bancos em cinco passos

  • 333

1. Imparidades

Os bancos portugueses registaram milhares de milhões de euros de imparidades desde 2008. Segundo dados do Banco de Portugal foram quase 40 mil milhões no total

2. Resultados

A partir de 2011, ano da intervenção externa em Portugal, os bancos entraram num período de fortes prejuízos

3. Contributo para o crédito

A maior parte do crédito a sociedades não financeiras (SNF) que estavam em incumprimento no final de 2012 tinha sido concedido entre 2005 e 2009

4. Aumento de capital

Os bancos aumentaram os seus capitais em mais de 14 mil milhões de euros desde 2008. Além disso, pediram ao Estado 6,5 mil milhões, a que somaram já em dezembro mais de dois mil milhões de custo público para o Banif.

(Nota: ao aumento de capital do Banif somam-se empréstimos e perdas suportadas na resolução, que totalizam três mil milhões)

(Nota: ao aumento de capital do Banif somam-se empréstimos e perdas suportadas na resolução, que totalizam três mil milhões)

5. Resultados líquidos e dividendos

Os fortes lucros da banca até 2007 refrearam, depois, até 2010. Nestes anos, a proporção de lucros distribuída como dividendos foi superior a um terço. Depois de 2011, os bancos acumularam 7,37 mil milhões de prejuízos. Mesmo assim, houve 253 milhões de dividendos pagos. (Nota: os dividendos distribuídos incluem resultados gerados por créditos que no futuro poderão requerer a constituição de imparidades)