Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Administração do Novo Banco insiste que depósitos estão salvaguardados

  • 333

PEDRO NUNES / LUSA

Conselho de Administração do Novo Banco garante todos depósitos dos clientes não são alvo da medida de capitalização anunciada na terça-feira pelo Banco de Portugal

A administração do Novo Banco reiterou aos colaboradores que todos os depósitos dos clientes estão garantidos, independentemente do seu montante, num comunicado enviado após a decisão do Banco de Portugal de recapitalizar a instituição.

No comunicado interno, a que a agência Lusa teve acesso, o Conselho de Administração do Novo Banco destaca que "os depósitos dos clientes do Novo Banco, independentemente do seu montante, não foram objeto desta medida" de capitalização.

O Banco de Portugal (BdP) decidiu na terça-feira que o Novo Banco vai ser capitalizado com quase dois mil milhões de euros provenientes de títulos de dívida, suportados por grandes obrigacionistas, nomeadamente investidores qualificados como bancos ou fundos de investimento.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o BdP diz ter decidido retransmitir para o BES a responsabilidade pelas obrigações não subordinadas ou seniores por este emitidas e que foram destinadas a investidores institucionais, cujo montante é de 1.941 milhões de euros.

"Por força desta retransmissão, o Novo Banco deixou de ser o devedor responsável pelas referidas emissões de obrigações, as quais passam a integrar o balanço do BES", refere.

Com esta medida - que altera a que tinha sido tomada após a resolução do BES, quando o BdP decidiu não imputar perdas aos credores seniores ao transmitir a dívida não subordinada do BES para o Novo Banco - o capital da instituição agora liderada por Stock da Cunha é reforçado em 1.985 milhões de euros, permitindo assim ao banco entrar em 2016 a cumprir as exigências regulamentares, e sem recorrer diretamente ao dinheiro dos contribuintes.

No comunicado interno, a administração do Novo Banco destaca ainda que "a configuração do balanço do Novo Banco está [agora] estabilizada, não sendo mais possível a transmissão de ativos e passivos para o BES (o perímetro está fechado)".

Acrescenta também que "o rácio de capital do Novo Banco, a partir desta operação, compara favoravelmente com o dos seus concorrentes, tendo por consequência os seus depositantes as mesmas garantias que os dos outros bancos com idêntico nível de solvência".