Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Europa abre em terreno positivo, Madrid continua a recuperar

  • 333

Amesterdão e Frankfurt lideram subidas na abertura desta quarta-feira. O índice Ibex 35 continua a recuperar da queda de segunda-feira. PSI 20, de Lisboa, em linha com Europa. Ásia fechou “mista”, com Xangai e Shenzhen a caírem e Hong Kong a subir. Preço do Brent em alta

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas europeias abriram em alta esta quarta-feira, nas vésperas de uma meia sessão dia 24 e de um feriado a 25 na Europa e Estados Unidos. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) registava ganhos de 1,58% pelas 8h15 (hora de Portugal). Amesterdão e Frankfurt, na mesma altura, lideravam as subidas com os índices Aex e Dax a avançarem mais de 1,5%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 abriu em terreno positivo.

A atenção continua focada em Espanha face aos resultados eleitorais de domingo que apontam para a dificuldade de formação de um governo de continuidade.

Os analistas financeiros em Espanha têm, no entanto, desdramatizado a situação apontando para a existência de um orçamento para 2016 já aprovado que afasta o quadro de “ingovernabilidade” orçamental. Os meios financeiros alimentam a expetativa em que o Partido Popular, primeiro partido votado nas eleições e partido incumbente do governo, consiga fazer passar, em janeiro, no Congresso de Deputados um executivo com apoio do partido Ciudadanos e a abstenção do PSOE, o segundo partido mais votado.

O índice Ibex 35, da Bolsa de Madrid, prosseguia a recuperação depois de uma quebra de 3,6% na segunda-feira. Estava a ganhar no início da sessão desta quarta-feira mais de 1,5%, mas ainda perde 1,5% em relação ao fecho da semana passada, antes das eleições legislativas.

Na Ásia Pacífico, o fecho foi “misto”. Contudo, a sessão asiática não contou com a bolsa de Tóquio, a terceira mais importante do mundo em capitalização (depois das duas de Nova Iorque), em virtude de feriado no Japão, derivado do aniversário do imperador. Na China, as bolsas de Xangai e de Shenzhen fecharam no vermelho. O índice composto de Xangai recuou 0,43% e o índice similar da segunda bolsa caiu 1,2%. As duas bolsas são a quarta e sexta bolsas mais importantes do mundo. Hong Kong, a quinta bolsa mais importante, fechou com um ganho de quase 1%. Sidney, Seul e Taipé registaram ganhos mais modestos.

A situação na China, a segunda maior economia do mundo, continua a prender a atenção. Segundo a Bloomberg, a dívida total das empresas cotadas nas duas bolsas é atualmente 1,3 vezes superior à capitalização. A mesma agência financeira referiu hoje que aumenta o número de cotadas que declaram não ter liquidez para pagarem a dívida obrigacionista que chega à maturidade nos “próximos dias”.

No mercado petrolífero, os preços dos barris de Brent, variedade europeia negociada em Londres, e WTI, variedade norte-americana negociada em Nova Iorque, flutuam esta quarta-feira em torno da paridade. No fecho de terça-feira, o preço do Brent ficou mais barato que o WTI, o que já não acontecia desde janeiro. No fecho da sessão asiática de hoje, o barril de petróleo cotava o mesmo valor em Londres e em Nova Iorque, situando-se nos 36,48 dólares, em ligeira alta em relação aos fechos do dia anterior.

  • Pelo segundo dia consecutivo, o índice mundial das bolsas registou uma subida. Esta terça-feira destacaram-se as bolsas dos Estados Unidos com um ganho de quase 0,9%. Europa e Ásia Pacífico registaram hoje avanços de 0,4%. Mas Frankfurt, Milão e Zurique fecharam no vermelho

  • Brent mais barato do que petróleo americano

    Esta terça-feira, o preço do barril de petróleo norte-americano ultrapassou o preço do barril de Brent. No fecho da sessão, a cotação do Brent está em 36,38 dólares e a do WTI em 36,43 dólares. Brent desceu esta terça-feira abaixo de 36 dólares durante o dia