Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Grupo de Humberto Pedrosa prevê faturar 2,71 mil milhões de euros em 2015

  • 333

No ano em que comemora um século de vida, o Grupo Barraqueiro participa em 23 empresas que empregam 18.997 trabalhadores

Ao comemorar um século de vida, o Grupo Barraqueiro admite que as 23 empresas em que participa vão apresentar uma faturação superior a 2,71 mil milhões de euros. O presidente da Barraqueiro, Humberto Pedrosa diz que esse valor global só será atingido porque "conseguimos manter um crescimento sempre sustentado aos longo dos últimos 48 anos", comentou ao Expressso.

Humberto Pedrosa já gere, entre viaturas, camionetas, autocarros, comboios, metros e aviões, uma frota global de 3.537 "unidades". Os executivos do Grupo Barraqueiro já prevêem com rigor que este universo empresarial conseguirá faturar "2.714.353.074,28 euros em 2015".

O empresário recordou ao Expresso que os anos de "maior crescimento da Barraqueiro coincidiram com a fase de privatizações das empresas rodoviárias, contribuindo significativamente para o aumento da nossa dimensão, pois hoje estamos entre os maiores operadores de transportes da península ibérica".

De todos os modos de transporte que Humberto Pedrosa gere, o que gosta mais - diz - "é o ferroviário porque nos permite manter um nível mais elevado de pontualidade nos serviços e para mim é gratificante poder garantir aos meus clientes que as minhas empresas conseguem cumprir horários". Esta questão é diferente no modo rodoviário, porque "há sempre fatores imprevistos no trânsito diário".

"Para mim foi muito relevante o inquérito que foi feito às empresas do nosso sector em 2014, onde estamos nos primeiros lugares ao nível da satisfação de serviço manifestada pelos nossos clientes", refere.

Humberto Pedrosa lidera há 48 anos

"Lidero a Barraqueiro desde 1967, o que já é algum tempo", comenta com ironia, explicando que as responsabilidades executivas "estão bem distribuídas porque sou diariamente apoiado por uma equipa de gestores muito profissionais, de alta qualidade técnica e reconhecidos no sector, além de que também trabalho com os meus filhos, que acompanham a definição da nossa estratégia e têm elevada qualidade de gestão profissional".

"Gostava de fazer uma grande festa"

A propósito da efeméride dos 100 anos do Grupo Barraqueiro, Humberto Pedrosa considera que "deviamos fazer uma grande festa, porque todos os trabalhadores merecem que esta data fosse devidamente comemorada, mas a atual conjuntura, a exigir a máxima concentração da equipa executiva, não permitirá concretizar essa intenção como gostariamos".

Na mensagem que Humberto Pedrosa dirige aos 18.997 trabalhadores das suas 23 empresas - que têm uma faturação total de 2,71 mil milhões de euros - recorda que "foi há exactamente 100 anos que os irmãos Jerónimo, fundadores da empresa, começaram oficialmente a sua atividade profissional de transportadores públicos de passageiros com a criação e concretização de uma carreira em autocarro (na altura designado Auto-Omnibus) entre o Lumiar e a Ericeira".

"Em 1967 só tinhamos 11 autocarros"

No período de um século, essa "pequena empresa, que em 1967 tinha apenas 11 autocarros", recorda, transformou-se num dos maiores grupos ibéricos de transportes.

Humberto Pedrosa tem empresas em Portugal, em África e no Brasil, mantém parcerias estratégicas com os maiores grupos internacionais de transportes.

Pedrosa faz questão de referir que "somos a maior empresa ibérica no transporte rodoviário de passageiros e os únicos a conseguir manter um serviço público de transporte suburbano ferroviário sem quaisquer apoios do Estado".

150 milhões de quilómetros por ano

O Grupo Barraqueiro tem em movimento diariamente "mais de 3.500 veículos, entre autocarros, metros ligeiros, comboios e camiões, percorremos cerca de 150 milhões de quilómetros por ano e conseguimos resolver os problemas de mobilidade e de logística a milhões de pessoas", diz o empresário.

"Ao incluir a TAP, cujo processo de aquisição de participação maioritária acabamos de concretizar, o Grupo Barraqueiro passa a contar com a colaboração de quase 20.000 trabalhadores", remata.