Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsas. Nova Iorque com trajetória de subida. Europa "mista"

  • 333

Depois de uma abertura "mista", os índices de Wall Street e do Nasdaq estão em trajetória de subida. Na Europa, Frankfurt, Paris e Zurique estão acima da linha de água. Madrid lidera quedas. Preço do Brent volta a cair abaixo de 40 dólares, mas revela volatilidade. OPEP confirma que está a produzir acima do teto oficial anterior

Jorge Nascimento Rodrigues

As bolsas de Nova Iorque abriram "mistas" esta quinta-feira, com o Dow Jones 30 e o S&P 500 em Wall Street a cair ligeiramente e o Nasdaq das tecnológicas a subir. Poucos minutos depois da abertura da sessão norte-americana pelas 14h30 (hora de Portugal), os três índices já revelavam trajetória de subida, apesar de várias flutuações.

Na quarta-feira as bolsas dos Estados Unidos fecharam a perder 0,79%, mantendo-se em terreno negativo pela terceira sessão consecutiva, com uma perda acumulada de mais de 2% nas três primeiras sessões da semana, segundo o índice MSCI respetivo.

Na Europa, depois de uma maré vermelha, a dinâmica alterou-se, registando-se uma situação "mista" no momento da abertura da sessão norte-americana. Os índices Dax de Frankfurt, Cac 40 de Paris e SMI de Zurique negociavam acima da linha de água, enquanto outras praças financeiras importantes se mantinham em terreno negativo, com Madrid a liderar as perdas com o índice Ibex 35 a cair 0,89%. Amesterdão, Londres e Milão negiciavam em terreno negativo. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 perdia 0,2%. O índice Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas da zona euro) perdia 0,45%.

No mercado petrolífero, o preço do barril de Brent revela alguma volatilidade.Tendo aberto a sessão europeia a cotar 40,43 dólares, desceu para 39,72 dólares pelas 14h20 (hora de Portugal) e voltou a subir na abertura da sessão norte-americana, mas a trajetória é volátil.

O mercado petrolífero ficou a saber hoje oficialmente que a OPEP produziu em novembro 31 milhões e 895 mil barris diários, um nível acima do anterior teto oficial de 30 milhões de barris por dia, segundo o seu relatório mensal. Nas projeções para 2016, o cartel projeta produzir 30,8 milhões de barris por dia, ainda acima do teto oficial anterior. Recorde-se que, na cimeira de 4 de dezembro, a OPEP decidiu não comunicar nenhum teto oficial e adiar uma decisão para a cimeira de junho do próximo ano.

O índice da Bloomberg para as matérias-primas descia 0,47% no início da sessão norte-americana.