Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Wall Street fecha no vermelho. Bolsas mundiais em terceiro dia consecutivo de perdas

  • 333

As bolsas de Nova Iorque fecharam pelo terceiro dia consecutivo registando perdas. O índice Dow Jones caiu 0,42% e a Apple perdeu 2,2% nesta quarta-feira. As principais bolsas europeias fecharam, também, no vermelho. PSI 20, da Bolsa de Lisboa, escapou, com um ganho ligeiro de 0,11%. Bolsas mundiais perdem pela terceira sessão

Jorge Nascimento Rodrigues

Esta quarta-feira registaram-se duas reviravoltas durante as sessões bolsistas. As principais bolsas europeias abriram com ganhos para depois passarem ao vermelho. O mesmo sucedeu com Nova Iorque. Num registo contrário, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, abriu a cair 0,3% para fechar com um ganho de 0,11%.

Com as três principais "regiões" - Ásia Pacífico, Europa e EUA - a fecharem no vermelho, o índice MSCI das bolsas mundiais fechou com perdas pelo terceiro dia consecutivo. Recuou 0,34% esta quarta-feira. Desde o início da semana, em termos acumulados, o índice mundial já perdeu 1,8%, mais de 1,1 biliões de dólares (cerca de 1 bilião de euros).

Wall Street acaba de fechar em terreno negativo, com os índices Dow Jones 30 e S&P 500 a registarem quedas de 0,43% e 0,77% respetivamente. Entre as 30 do Dow Jones, a Apple liderou as descidas com um recuo de 2,2%. O índice Nasdaq encerrou a perder 1,48%. O índice MSCI para os Estados Unidos já perdeu 2,1%, em termos acumulados, desde o início da semana, liderando as quedas nas três "regiões".

Na Europa, a sessão bolsista terminou com os principais índices em terreno negativo. O Eurostoxx 50 (das cinquenta principais cotadas na zona euro) fechou a perder 0,42%, com a Nokia finlandesa a liderar as quedas com uma queda superior a 2,7%. As maiores quedas bolsistas registaram-se em Atenas (com o principal índice a perder 3,8%), Nicósia (índice de Chipre a cair 2,6%) e Viena (índice ATX austríaco recuou 2,3%). O índice Ibex 35 de Madrid fechou pouco abaixo da linha de água (-0,02%). Lisboa encerrou em terreno positivo, com um ganho no PSI 20 de 0,11%. Nas principais bolsas, as maiores quedas registaram-se em Paris (com o Cac 40 a recuar 0,95%), em Zurique (com o SMI a perder 0,88%) e em Frankfurt (com o Dax a recuar 0,77%).

O preço do barril de pertóleo de Brent atingiu um mínimo de 39,63 dólares durante a sessão da tarde que já não se verificava desde 18 fevereiro de 2009. Fechou em 40,28 dólares, uma redução de 0,43% em relação ao encerramento de terça-feira.

O euro valorizou-se esta quarta-feira 1,25% fechando em 1,1029 dólares. Em relação ao câmbio de 30 de novembro, a moeda única apreciou-se 4,4%, distanciando-se da proximidade à paridade.

Os índices de preços de matérias-primas fecharam "mistos". O índice da Bloomberg encerrou a ganhar 0,1% e o CRB da Reuters subiu 0,09%. Já o S&P GSCI perdeu 0,27%.

  • O preço do barril de Brent desceu ao final da tarde desta quarta-feira na sessão europeia para 39,63 dólares, um novo mínimo desde 18 de fevereiro de 2009. A volatilidade do preço dominou uma vez mais o mercado do crude, com o preço a subir para 41,47 dólares a meio da tarde

  • Depois de uma abertura em terreno positivo, a trajetória inverteu-se, Viena e Atenas lideram as quedas na zona euro. PSI 20 cai 0,35%. Volatilidade pode continuar. Preço do barril de Brent continua a subir. Export-Import na Alemanha caiu em outubro

  • As bolsas em Nova Iorque abriram esta quarta-feira com perdas entre 0,1% e 0,4%,mas Wall Street iniciou trajetória de subida minutos depois. Na Europa, a reviravolta ocorrida na sessão da manhã prossegue. Eurostoxx 50 perde 0,7% e PSI 20 recua 0,3%. Bolsa de Atenas perde 4%. Preço do barril de Brent continua acima de 40 dólares