Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sapatos do CR7 dão gás a nova marca

  • 333

A agência trabalha com 12 fábricas e tem uma unidade especializada em sapatos do tipo mocassin

DR

A Portugal Footwear já trabalha para Cristiano Ronaldo mas agora cria insígnia própria

A Portugal Footwear nasceu de forma discreta, em 2010, em São Torcato, Guimarães, para calçar um modelo diferente do negócio de sapatos tradicional. Na apresentação pôs de lado a palavra empresa para se dar a conhecer como “uma agência que trabalha com várias marcas e parceiros em diferentes tipos de calçado, pronta a fazer tudo o que o cliente precisa, do desenho à comunicação”. O salto para a fama foi dado este ano, com a licença de conceção, produção e comercialização da marca Cristiano Ronaldo Footwear a nível mundial, mas apesar do ritmo de trabalho ter acelerado a equipa quer aproveitar o momento e já está a preparar o lançamento da nova insígnia We Are Underdogs de acordo com um conceito de produtos sem estação para serem lançados com alguns modelos unissexo.

“Estamos a preparar a marca, ainda numa fase de testes, para ver reações, afinar o produto de acordo com as tendências. O objetivo é fazer o lançamento já em 2016, de acordo com um conceito que rompe com o lançamento habitual de duas coleções por ano e que permite apresentar produtos independentemente das estações”, explica José Luís Machado, diretor de marketing da Portugal Footwear. Na etapa inicial, os esforços estão concentrados nos sapatos para homem, mas alguns modelos são pensados já para poderem calçar os dois sexos. Nas vendas, o arranque será online.

Na prática, a empresa está a aplicar em causa própria as competências que tem vindo a colocar ao serviço de terceiros e que se traduzem numa equipa de 45 pessoas e numa faturação próxima dos €2,4 milhões, valor que não contempla os números relativos às linhas CR7, CR7 Júnior e Cristiano Ronaldo, protegidos por um “acordo de confidencialidade”, e tem nas exportações uma quota de 90%.

Ligada à família Saraiva Gonçalves, com uma história já de várias décadas no sector do calçado que inclui o controlo da rede de sapatarias Egoísta, entretanto declarada insolvente, a Portugal Footwear trabalha com 12 fábricas de sapatos entre Guimarães, Felgueiras e São João da Madeira, sempre escolhidas em função do tipo de modelo, uma vez que a regra é “procurar os melhores parceiros para cada sapato”.

A empresa tem, também, a sua própria fábrica na Boutique Factory, usada como laboratório de testes de novos modelos e construções e como produtora de sapatos de tipo mocassin para clientes de gama alta que apresentam “elevado nível de exigência, flexibilidade e capacidade de produção de pequenas séries”. É uma unidade que emprega 35 pessoas e faz 300 a 400 pares/dia entre sapatos de homem, senhora e criança.

“Queremos que as marcas nos vejam como parceiros fiáveis e completos”, sublinha João Machado, diretor de operações da Portugal Footwear, que tem o seu armazém na empresa Luís Simões, sua parceira na logística.

Na carteira de clientes, a Portugal Footwear conta com marcas como a Chevignon e Carolina Herrera. No final de novembro, saiu a primeira encomenda para a Linder, nos EUA, vista como “um teste” para entrar num mercado considerado “muito apetecível”.

Com as licenças das coleções CR7 (casual/urbano) CR7 Júnior (infantil) e Cristiano Ronaldo (premium), a empresa ganhou notoriedade e atraiu a atenção de novos potenciais clientes para os seus serviços. Ganhou, também, visibilidade no seu canal de vendas online, onde o nome do jogador de futebol da Seleção Nacional e do Real Madrid poderá servir de alavanca para criar uma plataforma multimarca de venda de sapatos produzidos em Portugal.