Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mota-Engil contratou este ano 5000 trabalhadores

  • 333

O conglomerado Mota-Engil aumentou este ano o seu universo laboral e conta agora com 27.820 assalaridos. A maioria não pertence aos quadros

O conglomerado Mota-Engil aumentou este ano o seu universo laboral em mais cinco mil trabalhadores, reforçando as contratações em todas as geografias em que opera. Mas foi na América Latina que o reforço foi mais acentuado. No fim de setembro, o grupo contava com 27.820 assalariados.

Numa informação que consta do prospeto do aumento de capital para financiar a retirada da Bolsa de Amesterdão da Mota-Engil África, o grupo indica a evolução do quadro de pessoal nos últimos anos. Os 27.820 no fim de setembro comparam com 22.808 no fim de 2014, mas estão ainda longe do recorde registado em 2013 (28.345).

A maioria dos assalariados não são do quadro. A repartição é de 12.037 (quadro) contra 15.608. Ainda assim, esta divisão traduz uma evolução favorável à segurança no emprego. No fim de 2014, só 8921 eram efetivos nas empresas do grupo.

Por geografia, verifica-se que a Europa fechou 2014 com 7035 trabalhadores e está agora com 9149. Este crescimento de 2100 pessoas beneficia da inclusão no universo da Mota-Engil das centenas de funcionários da EGF.

Em África, a comunidade laboral está longe do pico (14.359 em 2013), mas regista um reforço ao longo de 2015. Está nos 12.924, mais 1400 do que no fim de 2014.

Finalmente, na América Latina registaram-se 1600 novas contratações. No fim de setembro, a Mota-Engil contava com 5265 assalariados, mas inferior ao recorde de 6616 (em 2012).

A Mota-Engil opera em 22 países de três polos geográficos através de 250 empresas.