Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Choque Draghi. Subida de juros da dívida foi terceira maior do ano

  • 333

Os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos subiram esta quinta-feira 26 pontos base numa só sessão. Aquando da crise grega, por efeito de contágio, subiram 38 pontos base em 29 de junho e 30 pontos base a 5 de maio. Fecharam hoje em 2,54% depois de terem descido para um mínimo de sete meses

Jorge Nascimento Rodrigues

Depois de terem descido para 2,23% pelas 12h15 (hora de Portugal), fixando um mínimo de sete meses no mercado secundário da dívida soberana, as yields das Obrigações do Tesouro português (OT), a 10 anos, dispararam pela tarde logo depois do anúncio do pacote de novos estímulos monetários pelo Banco Central Europeu (BCE).

Como as medidas anunciadas e explicadas pelo presidente Mario Draghi souberam a pouco aos mercados financeiros, o “choque Draghi” acabou por empurrar as yields das OT a 10 anos para 2,54%, uma subida de 26 pontos base em relação ao fecho de quarta-feira.

Este disparo foi a terceira maior subida diária do ano, até à data. A maior registou-se a 29 de junho, um dos momentos da crise grega, cujo contágio provocou uma subida diária de 38 pontos base para as yields das OT a 10 anos. A segunda maior subida ocorreria, também, durante a crise grega, com as yields das OT naquele prazo de referência a subirem 30 pontos base a 5 de maio. A 15 de junho, a subida diária foi de 22 pontos base, ainda no quadro da crise grega, mas abaixo do disparo que se registou hoje.

Deste modo, as maiores subidas diárias do ano no custo de financiamento da dívida portuguesa no mercado secundário ficam, até à data, associadas ao contágio da crise grega no verão e, agora, à reação negativa dos investidores às medidas tomadas pelo BCE esta quinta-feira na sua última reunião do ano, em torno da qual se haviam gerado enormes expetativas. Aquando da crise grega, as yields das OT a 10 anos fixaram um máximo do ano em 3,16% no fecho de 29 de junho.

Recentemente, as yields subiriam para 2,84% a 9 de novembro, na véspera da aprovação da moção de rejeição do anterior governo de coligação PSD/CDS, mas a subida diária foi de 17 pontos base, inferior às quatro subidas referidas associados ao contágio grego do verão e ao pacote do BCE de hoje.

  • Depois do anúncio das medidas tomadas esta quinta-feira pelo BCE ampliando estímulos monetários, os mercados financeiros na Europa entraram em pânico. Os juros das OT dispararam para perto de 2,5%, o PSI 20 na bolsa de Lisboa passou a terreno negativo e as bolsas de Amesterdão, Paris e Frankfurt estão a cair mais de 2,5%. Euro valorizou mais de 2%