Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Inflação na zona euro mantém-se em 0,1%

  • 333

A estimativa de inflação para a zona euro em novembro é de 0,1%, uma variação idêntica à registada no mês anterior, divulgou esta quarta-feira o Eurostat. Os analistas apontavam para uma subida para 0,2%. Quebra de preços na energia continua a influenciar negativamente a inflação

Jorge Nascimento Rodrigues

A inflação na zona euro manteve-se em 0,1% em novembro, segundo a estimativa do Eurostat, o organismo de estatísticas da União Europeia, divulgada esta quarta-feira, 24 horas antes da reunião do Banco Central Europeu (BCE). Em outubro, a inflação registada foi também de 0,1%, retirando, então, a zona euro do terreno de inflação negativa de -01% registada em setembro.

Os analistas esperavam uma inflação de 0,2% em novembro, pelo que esta estimativa preliminar da variação do índice dos preços no consumidor na zona euro fica abaixo das expetativas. A inflação subjacente (não contando com as componentes de energia, alimentação, álcool e tabaco) desceu para 0,9% face a 1,1% em outubro. Também este índice ficou abaixo das expetativas dos analistas.

A componente do índice que continua a influenciar negativamente a inflação na zona euro é a da energia, que recuou 7,3% em novembro, menos do que em outubro, quando a quebra registada foi de 8,5%. A componente dos serviços registou uma subida de preços de 1,1% e a relativa aos bens industriais, excluindo a energia, aumentou 0,5%. Estas duas subidas foram inferiores às registadas em outubro.

Recorde-se que, em novembro, o preço do barril de petróleo de Brent desceu 10% e que os índices relativos às variações de preços das matérias-primas nesse mês registaram quebras, de 8,97% para o S&P GSCI, de 7,2% para o da Bloomberg e 6,8% para o da Reuters.

A não alteração da inflação na zona euro em novembro, mantendo-se próxima de 0%, e a própria inflação subjacente abaixo de 1%, reforçam as palavras recentes de Mario Draghi de que o BCE fará tudo o que for necessário para provocar a subida da inflação no sentido da meta de longo prazo de abaixo mas perto de 2%. O BCE prevê que a inflação na zona euro em 2015 seja de 0,1%. Na mais recente sondagem da Bloomberg, já realizada esta semana, os 53 economistas ouvidos acham que o BCE optará por mais estímulos monetários na reunião de amanhã.