Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Cotadas do PSI20 com mais lucros do que em 2010

  • 333

As 18 empresas do PSI20 tiveram um lucro acumulado de 2,55 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, contra os 1,93 mil milhões de euros obtidos no mesmo período em 2014

As empresas cotadas em Bolsa conseguiram os melhores resultados, nos primeiros nove meses do ano, desde 2010, altura em que o encaixe da Portugal Telecom com a venda da participação na Vivo levou a um lucro recorde na Bolsa portuguesa. E quase duplicaram os lucros em relação a 2012, ano em que os resultados bateram no fundo.

Segundo o "Diário Económico" desta quarta-feira, entidades como BCP, Sonae e REN foram beneficiadas por alguns ganhos não recorrentes. As 18 empresas do PSI20, por seu lado, tiveram um lucro acumulado de 2,55 mil milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, contra os 1,93 mil milhões de euros obtidos no mesmo período em 2014.

Para os analistas contactados pelo "Diário Económico", a manutenção do atual ciclo económico e de condições de financiamento favoráveis deverão permitir às empresas continuar a melhorar os seus níveis de rentabilidade. Mas há ameaças, como a recessão em economias emergentes onde algumas cotadas nacionais estão expostas.

As 15 cotadas fora do sector bancário lucraram 2,13 mil milhões de euros até setembro, o que compara com os 2,31 mil milhões de euros conseguidos no mesmo período de 2014. Essa redução é explicada com o efeito Pharol. A antiga PT teve um prejuízo de 137 milhões de euros, o que compara com um lucro de 368 milhões de euros em 2014, explicado por ganhos com o aumento de capital da Oi.

No entanto, excluindo a Pharol, estas empresas não-financeiras continuam a recuperar, com o lucro a subir 318 milhões de euros para 2,26 mil milhões de euros. Essa melhoria foi conseguida sobretudo à custa da Galp, com a petrolífera a aumentar o resultado líquido de 236 milhões para 490 milhões de euros.

Cotadas como a Altri, a EDP Renováveis e a Sonae, por exemplo, também conseguiram subidas consideráveis dos resultados. Já a EDP, apesar de ter sofrido uma descida, manteve o título de empresa mais lucrativa do PSI 20, com um resultado de 736 milhões de euros. A elétrica e a Galp são responsáveis por cerca de metade dos lucros acumulados das cotadas do PSI 20.

BCP, BPI e Banif conseguiram, em termos acumulados, registar lucros pela primeira vez desde 2011. Tiveram um resultado de 421,7 milhões de euros até setembro, o que compara com os prejuízos de 378,7 milhões de euros registados no período homólogo. Esta melhoria foi conseguida com uma melhoria da atividade, mas também, em alguns casos, com ganhos na venda de dívida pública. Foi o caso do BCP, que registou um resultado de 554,1 milhões de euros em operações financeiras.