Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

PIB desacelerou no 3.º trimestre, avança o INE

  • 333

O INE confirma um crescimento económico de 1,4% no terceiro trimestre deste ano, o mesmo resultado da estimativa rápida. Em cadeia, a variação do Produto Interno Bruto foi nula

"Comparativamente com o segundo trimestre, o PIB registou uma taxa de variação nula em termos reais (0,5% no segundo trimestre)", confirmou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Na prática, o PIB estagnou.

Em termos homólogos, o PIB registou um aumento de 1,4% em volume, o mesmo resultado da estimativa rápida. No trimestre anterior, a variação tinha sido de 1,6%. A estimativa rápida foi divulgada há duas semanas.

"O contributo da procura interna foi negativo devido principalmente à redução do investimento, enquanto a procura externa líquida contribuiu positivamente, tendo as importações de bens e serviços diminuído de forma mais intensa que as exportações de bens e serviços", explica o INE.

O contributo da procura interna para a avariação homóloga do PIB diminuiu no terceiro trimestre, ao passar de 3,5 pontos percentuais no segundo trimestre para 1,9 pontos percentuais em Setembro de 2015. Uma evolução que, diz o INE, reflete "a desaceleração do investimento e, em menor grau, das despesas do consumo final".

A redução do investimento foi determinante para a estagnação da economia no terceiro trimestre deste ano, fazendo com que Portugal regressasse a taxas de crescimento mais baixas do que a média da zona euro.